Qual a margem ideal para seu e-commerce?

Margem-ecommerce

Por: Preço Certo

Se você tem um e-commerce, com certeza já deve ter se perguntando como achar a margem ideal. Com mais de 600.000 e-commerces e esse número crescendo rapidamente, o aumento de competitividade é questão de tempo.

Para achar a margem ideal, você precisa ter um processo robusto de precificação. Garantir eficiência nesse processo é condição básica para manter competitividade e lucros.

De onde vem a margem ideal?

Errar em conceito é errar na metodologia por trás da precificação. Errar em cálculos é pura matemática. São duas coisas diferentes.

Antes de qualquer dica, você precisa mudar a mentalidade em relação a precificação. Por exemplo, se você precifica somente com markup, ou conforme a concorrência, já erra bastante em conceito. Não no cálculo, somente.

O preço deve vir dos finalmentes, e não do seu custo.

Esse é o primeiro pilar importante para se entender sobre precificação. Os finalmentes acima vem da sua estratégia de lucro e sua margem deve vir dela.

Pratique preços pensando que deles vem sua margem, e da sua margem vem o crescimento da sua empresa. O contrário disso seria precificar baseado em competição, em outras palavras entrar na guerra de preços, ou para cobrir custos.

Sua margem, e por isso seu preço também, deve vir da sua estratégia de crescimento.

O que devo fazer de forma prática? A tarefa é se perguntar, primeiramente: Quais são suas metas de lucro para o ano? E quanto pretende ter de margem média dos produtos?

Respondidas essas perguntas, como por exemplo ter 50% de margem média de contribuição (você quer uma máquina de lucratividade que gera cinquenta reais de lucro para cada 100 reais vendidos em média), você pode trabalhar distribuição de margem.

Mas antes de entrar no passo a passo, vamos entender como se compõe o preço.

O que preciso saber sobre precificação?

O ideal, depois de entender a finalidade da precificação, é compor corretamente seu preço e sua margem. Mas que margem é essa?

Margem de Contribuição é o que “sobra” depois que você deduz custos e despesas variáveis. Ela é o seu lucro bruto. Segue a fórmula:

Margem de contribuição = Valor de venda – Custos e Despesas variáveis diretas do produto (impostos, comissões, taxas).

Mas que custos são esses? Seguem alguns custos para serem compilados:

  • Custos de fabricação ou aquisição

Agrega todos os pontos necessários para fabricação e aquisição de produtos, desde a matéria-prima, impostos, custos relacionados ao frete da matéria prima, mão de obra direta do produto, embalagem, brindes, por exemplo.

  • Fretes

Frete com certeza é uma dor de cabeça, ainda mais se você vender em marketplaces como o Mercado Livre, que tem frete fixo bastante alto. Esta é uma despesa que varia de acordo com a venda e deve ser considerada.

Se você pratica frete grátis, custeando isso na empresa e considerando como estratégia para adquirir vendas, não considere como despesa variável e sim como fixa, ou seja, como um orçamento de marketing (multiplicando vendas por frete). Depende da forma que você usa frete. É importante colocar ela na formação de preços.

  • Impostos e Comissões

Os impostos, bem como as comissões pagas a vendedores, marketplaces e demais canais de venda, impactam diretamente na precificação, uma vez que consomem parte do valor do preço de venda.

  • Taxa de Cartão de Crédito/Débito/Antecipação de Recebíveis e boleto

É muito importante levar em consideração as taxas pagas para as administradoras de cartão e métodos de pagamento.

Mas e a taxa sobre boletos? Como ela é pequena, pode ser considerada como custo fixo. Ou seja, multiplicar o custo do boleto pelas vendas e aplicar como custo fixo, assim como o frete em certas circunstâncias, conforme explicado.

Somente agora, ao entender todo o processo por trás, podemos entrar na construção da margem ideal.

Qual o passo a passo para encontrar a margem ideal?

Sabendo sobre a finalidade da margem e como se compõe preços, agora é só colocar a mão na massa.

Lembra que falamos que preço deve vir da sua estratégia? Digamos que sua resposta fosse obter 50% de margem média, significando que a média das margens de seus produtos deve chegar a 50%. Seu trabalho agora é distribuir esse número ao longo da categoria de seus produtos.

Alguns terão margens maiores, outros menores. Mas a média deve chegar a sua meta. Por exemplo, digamos que venda duas cadeiras. Você pode aplicar uma margem de contribuição de 45% em uma e 55% em outra, assim você tem 50% em média, meta estabelecida para ter seu crescimento desejado.

Lembre-se: Só você pode definir essa margem, é algo bastante peculiar para cada empresa em saber quanto deseja ou pode crescer.

Portanto, ao distribuir essa margem média definida como meta, você monta a margem ideal para cada produto, dependendo de seu giro de venda.

Sobre Daniela Borsoi

Estudante de Publicidade e Propaganda. Interesse em marketing de conteúdo e branding. Apaixonada por séries, filmes e uma boa música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s