Bem-vindo ao blog do Tiny

Como precificar os produtos na Black Friday e ampliar suas vendas?

Como precificar os produtos na Black Friday e ampliar suas vendas?

02.11.2021 por Laika em Black Friday

A Black Friday está chegando e você precisa saber como precificar os produtos para evitar problemas com a lucratividade. Veja algumas dicas.

Ao longo dos últimos anos, a Black Friday vem se tornando mais representativa e importante para o varejo. É uma oportunidade incrível que as marcas têm de atrair novos clientes e aumentar as receitas a partir de promoções.

Mas a saúde financeira do negócio jamais pode sair prejudicada desta data. É necessário ficar de olhos bem abertos ao que diz respeito à precificação dos produtos. Qualquer oferta disponibilizada deve ser rentável diante das circunstâncias momentâneas da empresa.

Neste post, trazemos dicas para você precificar de forma correta os itens colocados à venda na Black Friday. Continue a leitura e fique por dentro do assunto.

Cuide a comissão do canal de vendas

O ecossistema do e-commerce facilita bastante o processo de concretização de vendas, mas existem alguns custos atrelados a ele. Um deles é a comissão de cada canal de vendas. A plataforma escolhida para a exibição dos produtos desempenha função crucial e, portanto, tem um custo. Essa comissão deve pesar na balança.

Tome cuidado com o preço que vai anunciar os produtos. Se você reduz os preços dos itens à venda, não significa que a comissão da ferramenta também diminua. Então sempre vale a pena verificar esse equilíbrio para não sair perdendo financeiramente. A operação precisa compensar, inclusive na Black Friday.

Atente-se às ofertas da concorrência

A competição no mercado depende diretamente das ações dos concorrentes. A comparação com a concorrência pode ajudar a definir a melhor precificação para a Black Friday.

Mas novamente, fica o alerta: tome cuidado com excessos. Não se baseie apenas nessa métrica. Lembre-se sempre de que cada marca vive sua própria realidade. Descontos muito agressivos podem fazer sentido para algumas marcas e, ao mesmo tempo, passar longe de compensar para outras.

Avalie os concorrentes, claro. Porém, preze pela tomada de decisão limpa, sem colocar em risco a política da empresa nem dar relevância exagerada às demais marcas que ocupam o mesmo segmento do mercado.

Considere o frete nos cálculos

As despesas que envolvem o frete importam para todas as partes. A empresa pode precisar arcar com elas e, ao mesmo tempo, o cliente tende a se afastar da finalização da compra se julgá-las muito elevadas. É necessário saber fazer o ajuste ideal.

Não raro se encontra “armadilhas” no ecossistema do e-commerce, com um produto em promoção atrativa atrelado a um frete alto demais, o que acaba prejudicando as vendas.

Entenda mais sobre formação de preços no e-commerce

Delimite margens

A precificação, especialmente na Black Friday, exige sabedoria do vendedor. Inúmeras despesas integram a operação de venda, portanto entram em cena custos conectados a estoque e capital de giro, por exemplo. Com todos os valores conhecidos, é mais fácil garantir rentabilidade mesmo em promoções.

A explicação é simples. É preciso saber até onde aumentar o valor ou até onde diminuir, ou seja, margem máxima e margem mínima. O jogo da precificação tem armadilhas, mas se a empresa tem limites bem estabelecidos, não corre riscos de sair perdendo.

Use dados

Hoje em dia já existem inúmeras plataformas voltadas ao acompanhamento de uma série de métricas relevantes para um negócio. Isso também significa uma gama de oportunidades. O investimento em coleta de dados sobre o ecossistema do e-commerce permite, ainda, o ganho de tempo para o foco da equipe em outras questões relevantes.

O monitoramento da concorrência pode ser facilitado assim, por exemplo. O Big Data como um todo, em diferentes processos corporativos internos, ajuda na precificação e na compreensão de qual deve ser o desconto dado em datas especiais, sobretudo na Black Friday.

Seja empático com o cliente

A base de uma relação boa para os dois lados ao falar de compra e venda é a confiança. Não adianta tentar usar estratégias para converter em curto prazo se, logo ali na frente, o consumidor perde esse olhar positivo sobre a marca. Portanto, a marca precisa ser empática desde o início do contato.

O público deve estar confortável para tomar decisões de compra. Vale lembrar que a Black Friday, em muitos lugares, virou sinônimo de “metade do dobro”. Fuja dessas máximas e prove, a partir de um comportamento sério e sincero, que sua empresa não segue tal linha. Que respeita o cliente. Toda a experiência de compra conta para as futuras vendas.

Selecione os produtos que integrarão a promoção

A Black Friday é a data mais significativa do comércio mundial, mas isso não quer dizer que você deve colocar todos os itens em promoção. Pelo contrário: trata-se de uma chance de valorizar alguns de acordo com as estratégias de curto, médio e longo prazo da marca.

Uma das primeiras etapas do planejamento desse dia consiste em, justamente, delimitar cada um dos produtos colocados em oferta. Aproveite para dar maior relevância aos que estão com baixo giro de estoque, encalhados ou itens de coleções passadas, por exemplo. A validade dos produtos também pode ser um critério para escolher quais produtos anunciar com menores preços.

Conforme conferimos, existem dicas bem importantes para ter sucesso na Black Friday. De qualquer maneira, lembre-se de adequá-las à realidade do seu negócio, principalmente com relação às estratégias específicas da empresa. Para garantir bons resultados, o que vale mesmo é a capacidade de se planejar e seguir a mesma linha, respeitando o público.

Black Tiny 21

Crie sua conta no Tiny entre os dias 1 e 30 de novembro e aproveite 30 dias grátis + 5 meses com 75% OFF em qualquer plano. Para criar sua conta, clique na imagem abaixo e faça seu cadastro. O código já está automaticamente preenchido para que você não precise se preocupar.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para assinar nossa newsletter e receber conteúdos legais em seu e-mail a cada 15 dias.