Bem-vindo ao blog do Tiny

Marca vegana de bolsas: como a Maria Tangerina gerencia a empresa com o Tiny

Marca vegana de bolsas: como a Maria Tangerina gerencia a empresa com o Tiny

01.04.2021 por Natália Zucchi em Cases de sucesso do Tiny

Automatizar faz a diferença nos negócios. Conheça a história empreendedora da Maria Tangerina e inspire-se.

A Maria Tangerina é uma marca de bolsas veganas que nasceu em 2013. Ela foi fundada pela Priscila Cortez, designer de produtos apaixonada por bolsas. Priscila criou a marca para suprimir sua demanda pessoal, uma vez que pouco se identificava com os modelos disponíveis no mercado e queria mudar essa realidade para ela e para outras brasileiras.

De São Paulo para todo o Brasil, a Maria Tangerina criou modelos versáteis e com a pegada sustentável, destacando a marca no cenário de produtos veganos. Entrevistamos a Priscila, que contou sua trajetória e também abriu os bastidores da gestão, detalhando seu fluxo de pedido e como o Tiny otimiza a rotina da empresa. 

A história da Maria Tangerina

Tudo começou com a ideia de criar bolsas para um público-alvo bem específico: a própria Priscila. Mas não só isso: no começo, toda a fabricação das bolsas era feita por ela, desde o desenho até a costura, uma produção artesanal.

Mas logo essa realidade mudou. Em uma conversa com seu professor em 2013, ainda quando cursava Design de Produto, percebeu que, na verdade, ela deveria focar sua atenção em desenhar as bolsas e terceirizar a costura das peças. Foi assim que ela viu oportunidade de crescimento, com o intuito de gerar mais renda e abrir oportunidades de trabalho com a produção de bolsas. Pensando nisso, começou a terceirizar a fabricação com ateliers parceiros e as coleções foram ganhando escala.

No início, ela pensava que as bolsas precisavam ser de couro, por ser o material mais utilizado pelas marcas na produção do acessório. Mas como não tinha maquinário para trabalhar com este material, acabou desistindo da ideia, e encontrando outra alternativa, alinhada aos seus valores pessoais.

“Hoje, a Maria Tangerina utiliza tecido para a fabricação de toda a linha de produtos, o que acabou se tornando seu diferencial. É uma marca vegana que foi abraçada pelos clientes“, conta Priscila. Assim, a empresa mostra que é possível produzir com responsabilidade, conscientizando sobre o consumo. Da mesma forma, a linguagem e comunicação da marca segue essa linha e recebe alto engajamento de seu público. 

Da cidade grande para o interior, Priscila buscou melhores condições para desenvolver seu negócio. Entre os anos de 2013 e 2017, a sede estava localizada na cidade de São Paulo. Mas ainda em 2017, a empresa se mudou para São João da Boa Vista, interior do estado, devido ao alto custo para se manter na capital. O objetivo era ficar em torno de seis meses e, caso não fosse a melhor escolha, a sede voltaria a ser em São Paulo. 

Durante o período, a Priscila percebeu que o interior proporciona um melhor custo para o negócio, então aproveitou para desenhar a empresa da forma que gostaria que fosse. Para isso, contou com diversas consultorias e mentorias, e aos poucos, os planos foram saindo do papel a partir do final de 2019.

Ocorreram mudanças importantes, como escolhas de fornecedores especializados no ramo e uma nova comunicação com os clientes. Nesse meio tempo, a família também cresceu e os ares do interior dialogaram bem com a rotina de mãe e empresária. 

Mais agilidade na rotina da Maria Tangerina com o Tiny ERP


Mudar de cidade também despertou a necessidade de organização e agilidade para sua empresa. Ao se instalar em São João da Boa Vista em 2017, a Priscila percebeu que os processos precisavam de mais agilidade, e por isso, decidiu assinar o Tiny ERP.

A ideia era otimizar, fazendo mais com os recursos que eu tinha. Um dos problemas que precisavam ser resolvidos era o da expedição, pois eu trabalhava sozinha e as etiquetas de envio eram geradas uma a uma nos Correios. Era uma loucura. 

Priscila, da Maria Tangerina

A Priscila ainda era Microempreendedor Individual (MEI) quando começou a utilizar o Tiny. Assim, ela poderia garantir a formalidade desde o início da Maria Tangerina, com a emissão de notas fiscais pelo Tiny, além de cuidar da gestão. Com o crescimento do negócio, em 2019 ela deixou de ser MEI.

Houve uma mudança de CNPJ e foi necessário contratar 2 pessoas para a equipe. Hoje a Maria Tangerina conta com 2 sócios e 4 colaboradores. O crescimento da operação foi facilmente acompanhado pelo Tiny.

Fluxo de pedidos recebidos no e-commerce

Com o Tiny para cuidar da rotina, a Priscila realizou a integração com a Shopify, plataforma de e-commerce que escolheu para criar sua loja virtual própria e anunciar seus produtos online. Este foi o primeiro passo para a automatização. “No momento não anunciamos em marketplaces, mas existem planos para essa expansão no futuro”, revela.

Ao conectar a plataforma, todos os pedidos são recebidos no ERP, facilitando os processos que devem ser realizados em cada um dos pedidos, desde a emissão de notas fiscais até o envio. A empresa criou um fluxo de trabalho para que cada etapa seja realizada com qualidade e eficiência.

Antes do Tiny eu fazia tudo manualmente, tinha uma planilha onde eu subia os pedidos por cliente e usava isso pra separar os pedidos. Era fácil errar algo nessa etapa e mandar o produto incorreto ou a quantidade errada.

Priscila, da Maria Tangerina

Cada empresa tem seu próprio fluxo de pedido e o Tiny possui recursos que podem ser utilizados em ordens diferentes, conforme a empresa preferir. Agora, veja o fluxo de pedidos da Maria Tangerina e entenda como a Priscila e sua equipe se organizam no dia a dia com o uso do Tiny: 


Passo 1: Recebimento do pedido da loja virtual

Tanto a Priscila como outra pessoa da sua equipe podem importar os pedidos que foram realizados na loja virtual para o Tiny, já que a plataforma Shopify é uma das integrações conectadas ao Tiny. Essa importação de pedido pode ser individual ou em lote, o que agiliza em dias com maior números de vendas no site. 

Passo 2: Cotação de fretes 

Após o pedido ser recebido, é feita a cotação de fretes através da Melhor Envio, gateway logístico integrado ao Tiny. Com essa consulta, ela pode escolher o modo de envio e a transportadora que deseja despachar os pedidos, conforme seu contrato e dentro do valor pago pelo seu cliente.

Assim, a empresa garante que está enviando os pedidos pelo meio de envio mais rápido para atender as expectativas dos seus clientes.

Passo 3 – Geração das notas fiscais 

Algumas empresas preferem gerar as notas fiscais assim que o pedido chega, outras, como a Maria Tangerina, preferem realizar essa etapa após fazer a cotação de frete. Como o Tiny recebe da Shopify todos os dados do cliente e quais produtos foram comprados, a etapa de gerar a nota leva apenas alguns segundos, uma vez que esses dados são preenchidos automaticamente.

Após gerar as notas, é preciso autoriza-las na Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e isso pode ser feito na sequência da geração de NF-e ou em outra etapa do fluxo. Continue lendo e veja quando a Priscila e sua equipe realizam essa etapa. 

Passo 4 – Início da separação

Após a geração de notas fiscais, é possível encaminhar os pedidos dentro do Tiny para o módulo de separação, iniciando esse processo. Com isso, os pedidos são organizados no módulo, com informações do produto a ser separado. Caso o pedido tenha vindo com observações dos clientes, elas já são consideradas pela pessoa responsável em separar o produto correspondente ao pedido.

Passo 5 – Impressão da separação

No módulo de separação, a equipe da Maria Tangerina imprime a lista de separação por produtos para facilitar a localização das peças no estoque. Assim, é possível verificar se todos os produtos estão disponíveis e assim eles são separados de uma só vez, agilizando esse processo e poupando tempo da equipe. 

Passo 6 – Confirmação dos produtos em estoque para autorizar NF-e

Após conferir se todos os produtos estão devidamente separados, é feita a autorização das notas fiscais na Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e a impressão. Priscila prefere faturar os pedidos nesse momento para ter certeza de que vai conseguir entregar o produto escolhido pelo seu cliente e assim evitar erros.

Passo 7 – Conferência do produto com o pedido do cliente

Para garantir que seu cliente receba o mesmo produto que comprou, a equipe da Maria Tangerina verifica novamente se os produtos correspondem ao que foi adquirido pelo seu cliente, através da separação do Tiny. Chamamos esse processo de checkout no Tiny, que pode ser feito de duas formas: manualmente, digitando o código do produto, ou automatizado, utilizando um leitor de código de barras.

Passo 8 – Envio para expedição do Tiny e impressão de etiquetas

Ainda pelo Tiny, os pedidos são enviados para o módulo de expedição. Neste módulo, é feita a impressão das etiquetas de envio conforme a transportadora escolhida. Enquanto isso fora do sistema, o pedido aguarda para ser embalado. 

Passo 9 – Embalagem dos pedidos

Agora sim, com as notas fiscais e etiquetas de envio impressas, é iniciado o processo de embalagem dos produtos separados. Em uma grande mesa, cada pedido é separado por nota fiscal e antes de fechar a embalagem, mais uma vez é feita a conferência do produto com os dados presentes na nota fiscal. Esse cuidado é importante para não enviar o produto errado ao cliente.

Lembramos que esses passos são seguidos pela Maria Tangerina e podem ser um exemplo para organizar o seu fluxo de pedido. Mas você poderá desenvolver a sua própria rotina a partir dos recursos do Tiny, conforme as necessidades da sua empresa e a capacidade da sua equipe. 

Com o Tiny eu consegui automatizar todo o processo, ganhei tempo e diminui os erros, o que me ajudou a ter mais tempo para outras tarefas da empresa, quando ainda não conseguia contratar alguém pra me ajudar. A automatização dos envios com recebimento dos pedidos, separação das mercadorias, emissão das notas e envio das encomendas, foi o que salvou a Maria Tangerina.

Priscila, da Maria Tangerina

Facilidades com o Tiny

Com a plataforma de e-commerce integrada ao Tiny ERP, ficou muito mais fácil gerenciar os pedidos e o estoque. Priscila explica que os estoques são atualizados de forma automática por meio da comunicação entre o site na Shopify com o Tiny.

Assim, tudo que é vendido sai automaticamente do estoque, evitando a venda de produtos sem quantidade disponível para envio. Ela também faz o balanço quinzenal de estoque com o Tny, fazendo o controle dos produtos que estão armazenados na empresa a cada 15 dias.

Para auxiliar ainda mais no dia a dia, a Priscila utiliza relatórios do Tiny, principalmente os de vendas, pois possibilita separar por natureza de operação fiscal. “Através dele consigo ver a evolução de cada operação que trabalhamos hoje.”

Ela conta que estão começando a utilizar o fluxo de caixa e também o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) no Tiny, para substituir o trabalho manual de realizar essas rotinas em planilhas. A ideia é automatizar e ganhar mais agilidade. “São informações que precisamos mais rápido assim que fechamos o mês, pois fazemos participação nos lucros com as colaboradoras”, explica. 

Outra vantagem em utilizar um ERP como o Tiny foi a integração entre a equipe, mesmo com o trabalho à distância. Cada pessoa que forma a equipe tem seu próprio login no sistema, sendo assim, enquanto uma avalia as vendas, a outra separa os produtos vendidos.

É assim que a Maria Tangerina consegue trabalhar de forma remota com o Tiny.  “Deu super certo esse cruzamento de dados. Agora, a gente não precisa mais ficar trocando e-mails para tudo. Queremos aprender a utilizar outros recursos disponíveis para otimizar ainda mais nosso dia a dia”, afirma.

Os desafios da pandemia do Coronavírus

2020 foi um ano incomum para o mundo todo. Muitas empresas precisaram se reinventar, a pensar em estratégias para se manterem no mercado em meio a tantas imprevisibilidades. Mas a Maria Tangerina apostou muitas fichas em 2020, mesmo com todos os desafios. Veja como a empresa lidou com essa situação e superou as dificuldades durante o ano. 

“No final de 2019 planejamos diversas estratégias para o crescimento da marca e contratamos duas pessoas para trabalhar na empresa. Estávamos apostando muitas fichas em 2020, mas a pandemia foi um banho de água fria. Por um momento, achei que seria um ano totalmente estagnado, sem evoluções. Mas não achei que a empresa ia fechar, pois acredito muito no nosso trabalho.

No início da pandemia, ficamos um mês sem enviar pedidos por medida de segurança. Como paramos de receber, analisamos quais contas deveriam ser pagas primeiramente, então, foi um período para negociar com fornecedores, e priorizar salários e os ateliês menores. 

Durante o ano, passamos por vários problemas com fluxo de caixa, falta de matéria-prima e estoque. Mas queríamos dar a volta por cima e por isso pensamos em algumas ações para colocar em prática. Uma delas foi a campanha de transparência. Detalhamos os custos envolvidos na produção das bolsas e fizemos uma promoção inédita no site, abrindo mão do lucro para ganhar fluxo de caixa.

Nosso objetivo foi conseguir receita para manter nossos colaboradores e todos os profissionais que estão conectados com a Maria Tangerina. Depois desta campanha, ficamos praticamente sem estoque, o que foi um momento difícil. Precisávamos novamente de dinheiro no caixa para repor o estoque.

Então, outra ação que fizemos foi a criação de um brechó, que tem tudo a ver com o propósito sustentável da empresa. As pessoas nos enviaram as suas peças usadas da Maria Tangerina em troca de desconto no site e nós reformamos cada peça para revender.

Foi super legal, e a venda desses produtos acabou rendendo um bom caixa para ficarmos mais tranquilas. Me manter dentro do meu propósito como empreendedora foi uma forma de inspirar outras pessoas a não largarem seus negócios.

Felizmente o final de 2020 foi mais tranquilo e dentro do planejado. Me sinto agradecida, pois apesar de todos os desafios, estou bem. Nós conseguimos nos manter por causa do apoio das pessoas, que nos veem como algo a mais que apenas uma marca.

Para 2021, sei que ainda temos muitos desafios, mas sinto que estamos nos consolidando como empresa e criando boas relações com quem está do outro lado. No ano passado eu trabalhava sozinha e hoje tenho uma equipe ao meu lado. É gratificante perceber a evolução em meio ao caos.”

Automatizar faz a diferença

Após uma trajetória de mudanças e desafios, a Priscila e sua equipe seguem inspirando outros empreendedores a acreditarem em um propósito e a se manterem firmes por um ideal. A criatividade, o trabalho em equipe e o amor pelo negócio mantiveram o negócio andando e, na gestão, a automatização de processos salvou a Maria Tangerina.

Quando as etapas de um trabalho podem ser simplificadas, sobra mais tempo para focar nas estratégias do negócio e se dedicar mais à empresa. “Além disso tudo, eu aprendi o fluxo de trabalho das empresas maiores: Receber Pedido > Separar Peças > Separar Pedidos > Expedir para Transportadora > Enviar Rastreamento”, compartilha.

Esperamos que este case de sucesso te inspire e que você consiga automatizar as atividades diárias, sempre em busca da evolução do negócio. 

Cases de sucesso do Tiny