Bem-vindo ao blog do Tiny

Nest Panos e a cultura Hip Hop por trás da marca

Nest Panos e a cultura Hip Hop por trás da marca

04.01.2022 por Daniela Borsoi em artigos-tiny, Cases de sucesso do Tiny

Conheça a história e a relevância da Nest Panos para o Hip Hop e ainda como organizou sua operação com a ajuda do Tiny.

A Nest Panos iniciou suas atividades em Bento Gonçalves/RS no ano de 2009, como um coletivo de cultura Hip Hop através da criação de eventos, oficinas e projetos sociais.

O nome da marca tem um sentido especial. A sigla significa Nem Eu Sei Tudo, o que faz sentido com a realidade do William, sócio e fundador da Nest. “Eu sei dançar, e agora estou aprendendo como gerenciar uma loja”, conta. Além disso, remete ao propósito da marca, que é participar de eventos de Hip Hop, trazer informações culturais para a cidade e fazer com que as pessoas cresçam no mundo artístico.  

Para entender mais sobre a história da Nest, sua importância para a cultura e rotina otimizada das lojas física e virtual utilizando o Tiny ERP, conversamos com o William. Aproveite para conhecer e se inspirar.

O início da Nest Panos e o apoio ao Hip Hop

A marca começou a vender camisetas com o intuito de dar sustentabilidade aos projetos culturais e, aos poucos, foi se estruturando. O público interessado pelos itens aumentou e, então, surgiu a ideia de ter uma loja para comercializar os produtos.

“Nunca tivemos muito dinheiro para investir na marca. Começamos aos poucos, comprando camisetas para revender. Depois, incluímos bonés na linha de produtos. Hoje, a marca conta com aproximadamente 40 cores de bonés, além das tradicionais camisetas, meias, corta-vento e outros produtos”, conta.  

Tudo começou aos poucos. A primeira compra foi de apenas 20 camisetas, e a reposição de produtos acontecia conforme as vendas. Quando a Nest vendeu 80 camisetas, o dinheiro arrecadado foi utilizado para realizar um evento voltado à cultura Hip Hop, o que acabou com o caixa do negócio. A empresa precisou começar tudo de novo, mas sempre com o objetivo maior de incentivar a cultura.

A Nest está em constante processo de evolução. Com a contratação do Jowi, que é estudante de moda, a produção de peças foi otimizada. Ele busca referências para desenvolver linhas de produtos, o que aumenta as opções disponíveis para compra e contribui para o movimento cultural.

E para o futuro da marca? William já tem planos! Ele conta que tem a ideia de vender uma linha de produtos específica para o atacado, ampliando sua rede de distribuição.

Ecossistema da Nest Panos

A loja física é o principal canal de venda da Nest Panos. O que o William mais gosta é do contato físico que pode ter com o público em sua loja. Ao conversar com os clientes, os vendedores da loja podem trocar ideias sobre a cultura Hip Hop, eventos, experiências de vida e até explicar a história por trás da criação de cada produto. 

Na rotina das vendas, o uso do PDV do Tiny facilitou o trabalho. Antes de utilizar o ERP, as vendas eram anotadas em um caderno ou guardadas na memória, então muita coisa era esquecida. 

No início do dia, a empresa abre o caixa no PDV para dar início às atividades. Quando uma venda acontece, em poucos passos, o vendedor consegue atender o cliente. “Com o PDV, bipamos os produtos, melhoramos o tempo de atendimento e conseguimos atender mais pessoas. Não precisamos mais buscar no site qual é o preço dos produtos, o que nos deu agilidade”.

Antes de finalizar a venda, o vendedor escolhe a forma de pagamento que vai ser utilizada, inclui descontos e emite a nota fiscal do consumidor para oferecer segurança ao cliente. No fim do dia, o caixa é fechado no Tiny, para que a loja possa começar novamente no próximo dia. 

Mas o PDV do Tiny também é utilizado em outros momentos importantes. Em eventos, como o Festival Internacional de Dança de Joinville, a Nest vendeu seus produtos e utilizou o Tiny para incluir os pedidos de venda. Assim, foi garantido o controle sobre o que foi vendido e também foi possível analisar o resultado obtido ao final do evento.

“O Tiny é um dos fatores que mais nos ajudou a crescer profissionalmente. Melhoramos os processos e tivemos mais tempo para focar na produção das roupas e nos projetos culturais que a gente acredita”. 

E no online?

A proximidade proporcionada pela loja física é incrível, mas em contrapartida, o e-commerce tem o poder de alcançar mais pessoas. William comenta que muitas vendas na loja virtual são realizadas após eventos, quando a galera conhece a marca e entende seu propósito.

Mas vender na internet exige organização. Antes de utilizar o ERP, os pedidos da loja virtual eram anotados à mão no mesmo caderno utilizado na loja física, o que dificultava a organização e deixava os processos mais complicados. Os endereços eram digitados manualmente no Melhor Envio para que as etiquetas de envio pudessem ser impressas e os pedidos enviados.

O Tiny trouxe algumas facilidades no dia a dia do e-commerce da Nest. Para otimizar o controle sobre os anúncios e vendas, a Nest integrou o Tiny com a Nuvemshop, plataforma que foi utilizada para criar a loja virtual da marca. O pagamento das compras no e-commerce é feito através do gateway PagSeguro, que teve suas taxas e tarifas configuradas manualmente no ERP, tornando possível analisar melhor a lucratividade das vendas.

As facilidades acima fizeram com que o processo na hora de despachar os produtos ficasse mais fácil. Mesmo com uma pessoa trabalhando em home office e outra presencial na loja, a comunicação é eficaz e organizada. Uma das vantagens do Tiny é ser em nuvem, ou seja, com acesso à internet ele pode ser utilizado em qualquer lugar e a qualquer hora.

Veja como é o passo a passo por trás das vendas online no dia a dia.

  1. Quando uma venda é recebida pela Nuvemshop, ela é importada para o Tiny para que o Estêvão, sócio da marca e responsável pelo e-commerce, possa dar andamento no processo de despacho. 
  2. O Estêvão, em seu home office, envia os pedidos para o módulo de separação, dentro do Tiny;
  3. Na loja física, outro responsável dá continuidade ao pedido, separando e conferindo cada item. 
  4. Concluída a separação, as notas fiscais são emitidas remotamente pelo Estêvão. 
  5. Em seguida, são geradas a expedição e as etiquetas de envio, também pelo Estêvão. Com o Tiny integrado ao Melhor Envio, a loja pode escolher as melhores opções de envio de mercadorias, ou seja, as com melhor custo-benefício.
  6. Para concluir a rotina, as etiquetas são impressas na loja física e coladas nos pacotes para envio. 

Para manter a proximidade com os clientes, mesmo com as compras online, é possível comprar no site e retirar na loja. O pessoal da Nest, em alguns casos, também faz a entrega dos pedidos pessoalmente para os clientes de Bento Gonçalves ou cidades próximas.

O estoque da loja física e da virtual é o mesmo, integrado para que não haja problemas relacionados à quantidade de itens disponíveis. Como as duas lojas estão em um mesmo local, quando um produto é vendido no e-commerce, basta separá-lo no estoque e enviá-lo.

Mas o site da Nest não é utilizado apenas para vender produtos. Ele também é uma ferramenta de cultura. Na aba #Nestartes, são anunciados produtos como discos de vinil, CDs, livros e quadros de artistas que a Nest acredita. Isso comprova o apoio que a marca oferece à cultura e ao movimento Hip Hop.

Organização da rotina

Hoje, a organização da Nest é maior com o uso do Tiny. O William sabe quanto foi pago por um produto na compra anterior, o que auxilia na hora de fazer novas compras. Ele tem em mãos os números para verificar quanto a loja vendeu durante o dia ou mês, quais foram os meios de pagamento utilizados, qual valor será pago de comissão para cada vendedor e quanto está tendo de lucratividade através de relatórios de venda.

William cadastra todas as contas a pagar no Tiny para que fique organizado e nada seja esquecido. Ele consegue ver as datas de vencimento das contas e assim se programar para pagá-las. Como seguidamente participa de eventos, o acesso facilitado às contas dentro do sistema auxiliou no dia a dia. De onde estiver, ele consegue acessar as contas e efetuar seu pagamento sem precisar levar boletos na mochila.

“Não consigo mensurar em dinheiro, mas o Tiny gerou uma economia de tempo enorme para a Nest. E economizando tempo, podemos economizar dinheiro. Melhoramos o processo e temos mais agilidade nas lojas”. 

Um salto para o Hip Hop

O Breaking é um estilo de dança de rua que faz parte da cultura Hip Hop. Recentemente, a modalidade foi escolhida para participar dos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. 

Normalmente, as marcas que aparecem em eventos desse porte são de grandes empresas. Mas para 2024, a Nest foi convidada para estampar as camisetas da comissão do time que irá representar o Brasil, por ser conhecida como uma marca envolvida com o Hip Hop e importante para o movimento. 

A produção das camisetas foi com emoção, tanto em prazo, quanto em história. As peças ficaram prontas na sexta-feira, 26 de novembro, e embarcaram para seu destino no domingo, 28. 

“A gente percebe o quanto cresceu quando recebe a oportunidade de estampar as camisetas da seleção brasileira de jogos olímpicos e consegue atender a demanda, mesmo em cima do laço. Vai ser superimportante para a Nest, mas principalmente vai dar visibilidade para a cultura e para a dança, pois vai chegar em muito mais pessoas. E nós estamos fazendo parte desse momento”. 

A Nest produziu um documentário muito legal contando sua história e falando sobre a cultura Hip Hop. Assista aqui.

Ficamos muito felizes em contar a história da Nest Panos aqui no blog. É uma inspiração para outras empresas que enxergam o valor da cultura e como é possível trabalhar para que alcance mais pessoas. Desejamos muito sucesso.