Bem-vindo ao blog do Tiny

A experiência da RS Beer com o Tiny ERP e Google Shopping

A experiência da RS Beer com o Tiny ERP e Google Shopping

08.10.2020 por Daniela Borsoi em Cases de sucesso

Com 15 anos de experiência no e-commerce, Michel compartilha a história da RS Beer e conta sobre os bastidores com o Tiny ERP e Google Shopping.

A história que vamos contar hoje é da RS Beer, que vem ampliando seu público e suas vendas através do Google Shopping by Tiny. Para entendermos o que está por trás dessa empresa, conversamos com o Michel Carra, que tem experiência de 15 anos no e-commerce.

A expertise do Michel vem do gerenciamento da Casa das Capotas, e-commerce especializado em venda de acessórios para pick-ups, carros e utilitários, uma trajetória que também é um case de sucesso do Tiny ERP. Com esta empresa estabilizada, Michel queria se aventurar em outro segmento. Pensou sobre o assunto e um dia surgiu a ideia de vender cervejas artesanais gaúchas no e-commerce.

O Rio Grande do Sul é um estado com alta produtividade de cervejas, inclusive é bastante premiado quando se trata de cervejas artesanais. Pesquisando junto ao Diego Scotton, vimos que não existia um e-commerce com este foco, então essa era uma boa oportunidade.

Michel

No início, eles tinham muitas ideias para esse novo negócio e ficaram um tempo pensando em como começar, deixando viável e com o mínimo de risco.

A RS Beer foi feita para ser enxuta, para não ter despesas elevadas, por isso começaram com alguns testes a fim de entender o cenário e em 2019 lançaram o e-commerce RS Beer, que funcionava no mesmo espaço físico da Casa da Capotas. 

Além da comercialização das cervejas gaúchas, a RS Beer oferece um clube de assinatura. São planos trimestrais para que o que cliente receba em sua casa diferentes cervejas, sendo uma ótima oportunidade para conhecer as variedades disponíveis no sul.

Apesar do negócio nichado e dos produtos de alta qualidade, o início foi desafiador. As vendas não estavam indo muito bem até o começo de 2020. Michel conta que no início da pandemia do Covid-19, em março, precisaram fechar a empresa por uma semana, mas felizmente as vendas voltaram com tudo na reabertura e o negócio começou a ir pra frente. 

Com o aumento das vendas, a RS Beer deixou de funcionar no mesmo local da Casa das Capotas e ganhou uma sede própria. Este momento também foi importante, pois começaram a filtrar as ações, focando no que estava gerando bons frutos e ainda pensar em novas estratégias. 

O ecossistema da RS Beer

O principal canal de vendas da empresa é sua loja online, o RSbeer.com.br. Michel já tinha experiência utilizando a plataforma Tray para montar o e-commerce da Casa das Capotas, por isso, decidiu utilizar a mesma para vender as cervejas. Quem desenvolveu o layout do site foi o Diego, que é designer gráfico.

Para facilitar todos os processos que envolvem as vendas, a empresa utiliza a Tray integrada ao Tiny ERP.  Com essa integração, Michel recebe todos os pedidos de forma automática no Tiny, através da ferramenta OMS, que é um orquestrador de pedidos. 

A empresa conecta o Mercado Livre na Tray para aumentar os canais de venda. Para facilitar as transições de pagamentos, como aprovação de pedidos, a empresa utiliza a Yapay diretamente na Tray. Assim, os status dos pedidos são atualizados no Tiny conforme a mudança de situação e também é possível gerar relatórios para verificar as contas a receber.

A RS Beer também anuncia os produtos para serem vendidos em outros marketplaces além do Mercado Livre, com o intuito de alcançar diferentes consumidores. Hoje, os produtos podem ser encontrados no Submarino, Americanas e Shoptime, canais de venda da B2W. 

Michel comentou que o maior público ainda é na loja virtual própria e que o público cervejeiro compra pouco em marketplace. Esse conhecimento sobre o público consumidor é importante para saber onde e quando anunciar.  “O que percebemos foi que poucas pessoas compram cervejas como Weiss e Pilsen no site. Elas buscam por cervejas diferentes, que não são produzidas em outros estados, como Stout, Porter, Bock, conhecidas como cervejas de inverno”, conta Michel.  

Pelo fato do público da RS Beer preferir comprar na loja virtual, a estratégia para fomentar mais visitas é anunciar no Google. A seguir, você pode conferir a experiência do Michel ao utilizar o Google Shopping by Tiny.

RS Beer e Google Shopping by Tiny

O Google Shopping é a ferramenta de anúncios do Google. Com ela, é possível criar campanhas para que os produtos apareçam no topo das pesquisas quando um potencial cliente realiza buscas online. 

Michel utiliza as campanhas do Google desde 2013, quando começou a anunciar os produtos da Casa das Capotas.  Ele conhece bem o trabalho necessário para levar seus produtos ao Google para criar as campanhas. Era preciso acessar a conta na Tray, enviar os produtos para o Merchant Center (repositório de produtos do Google), fazer a segmentação, criar as campanhas e acompanhar os resultados. Mas quando a empresa cresceu e o processo começou a ficar muito complexo, contratou uma agência para ajudar. 

Como já conhecia o funcionamento do Google Shopping, Michel começou a fazer testes de  campanhas para a RS Beer em dezembro de 2019, diretamente no Tiny. Michel comenta que é mais fácil trabalhar através do Tiny, porque em poucos cliques o usuário conecta com o Merchant Center e em seguida conecta com o Google ADS para criar as campanhas inteligentes. 

Como a criação de anúncios para bebidas alcoólicas tem suas peculiaridades, e era necessário alguns ajustes para colocar as campanhas no ar, ele contou com a mesma agência que cuida dos anúncios de sua outra empresa.

Com tudo resolvido, os produtos foram aprovados pelo Merchant Center, as campanhas começaram a ser veiculadas e logo Michel passou a tocar essa etapa sozinho, com autonomia, diretamente pelo Google Shopping by Tiny. Hoje, Michel precisa apenas controlar os orçamentos e enviar novos produtos quando for necessário.

O objetivo principal da RS Beer com as campanhas de Google Shopping é fazer com que as pessoas conheçam a marca, tendo como consequência o aumento das vendas. Michel comentou que estão tendo um bom retorno e que muitas das vendas realizadas têm origem no Google Shopping. 

“A gente sabia que as campanhas iam dar certo, pois pesquisamos e não encontramos campanhas dos produtos que trabalhamos, ou seja, não havia concorrência. Ainda fomos beneficiados pela época, pois houve mais procura devido à pandemia, logo aparecemos mais na pesquisas do Google”, comenta Michel. 

Lembro de termos iniciado a primeira campanha com a RS Beer juntos. Mas logo Michel começou a fazer sozinho, seguindo o processo a risca, assim como manda o figurino. 

Geralmente, nas primeiras semanas, pode parecer que o Google Shopping não trará resultados. A verdade é que a campanha inteligente precisa de tempo para aprender quem realmente é o perfil de cliente da sua loja. Com o passar do tempo, sua campanha aprende e vai ficando cada vez mais inteligente, gerando melhores resultados.

Rafael, da Tiny

A RS Beer seleciona com cuidado quais itens serão enviados para o Google Shopping. Cada canal de venda possui sua própria estratégia, e é preciso ter essas informações bem mapeadas para que o investimento retorne bons resultados. “Aprendemos a criar campanhas de frete grátis para os clientes, o que também ajudou a aumentar o ticket médio das vendas. É preciso pensar em cada detalhe para conseguir vender”, diz Michel.

Estoque disponível nas campanhas

Para quem trabalha com produtos sazonais, perecíveis ou até mesmo quem não possui grandes quantidades disponíveis para venda, um controle de estoque integrado com os canais de venda é essencial para o sucesso.

Imagine que você esteja anunciando seu produto top de vendas no Google Shopping, e seu estoque está chegando ao fim. Já são 19h da sexta-feira, você se prepara para finalizar a semana de trabalho mas não se preocupa pois ainda tem estoque para vender.

Ao retornar na segunda-feira, tem a boa notícia de ter vendido todos os produtos ainda na sexta. Em contrapartida, percebe que seus anúncios geraram cliques durante o final de semana mesmo sem estoque, gastando sua verba de anúncios e gerando uma experiência ruim ao cliente, que se interessou pelo produto mas não conseguiu comprar.

Rafael, da Tiny

O controle de estoques integrado do Tiny faz com que você não anuncie produtos sem estoque. Em uma campanha é possível incluir diversos produtos, e quando um produto específico fica com estoque zerado, ele para de ser mostrado no Google Shopping. Mesmo assim, a campanha continua ativa, veiculando os demais produtos que estão com estoque disponível. 

Orçamento para vender no Google Shopping

Uma questão que sempre gera dúvidas é quanto investir em uma campanha de Google Shopping. A RS Beer, é prova que não existe uma receita de bolo e é preciso definir um orçamento que consiga manter estável para que o Google aprenda sobre seus compradores para maximizar seus resultados.

Em sua experiência de Google Shopping, ele entendeu os números e está conseguindo criar melhores campanhas para seus produtos. Através das análises que fez até o momento, ele nos deu um exemplo:

Análise de CPC (Custo por Clique). Se este valor estiver muito alto, significa que você está colocando dinheiro demais. A ferramenta é inteligente e se adapta à procura dos consumidores, então se poucos estão procurando por seu produto, ela vai gastar todo o orçamento diário para alcançar estas poucas pessoas. Deixando o orçamento muito alto, você acaba jogando dinheiro fora, pois o número de cliques não aumenta, mas o CPC sim.  

Michel

Apesar disso, ele afirma que depende muito do segmento de atuação de cada empresa, então é importante observar os resultados. Se ao aumentar o orçamento, o resultado for um aumento no ROI (Retorno sobre Investimento) e também nas visitas no site, vale a pena. Caso contrário, não faz sentido aumentar.

“A maior vantagem de utilizar a ferramenta do Tiny para Google Shopping é que posso fazer tudo em um só lugar. Tudo fica mais fácil, mais simples. Para quem não tem conhecimento aprofundado, é ótimo”, destaca. 

RS Beer e sua rotina com o Tiny ERP

Na hora de escolher um ERP para a RS Beer, Michel não teve dificuldades. Como já utiliza o Tiny ERP na Casa das Capotas, optou por manter o mesmo sistema. Ele já tem experiência de uso e todo o processo de implementação acabou sendo mais rápido e fácil. 

“A lógica que existe por trás de cada atualização mensal do ERP também contribuiu para essa decisão. Não existem remendos no Tiny. Tudo é bem pensado. Então, nem cogitei outro ERP.” Ele brinca que o Tiny é o famoso BBB – Bom, Bonito e Barato – sendo um canal legal e moderno para organizar as operações.

Redução de tempo para tarefas

Michel conta que o uso de um ERP reduz tempo para realizar cada tarefa, afinal “ninguém quer buscar um pedido em um sistema, copiar as informações e colar em outro sistema para poder emitir uma nota fiscal e controlar os estoques”, afirma. 

O Tiny segue um fluxo para os pedidos, desde o recebimento das vendas no ERP, até a separação e expedição. E estas são ferramentas essenciais na rotina da RS Beer. Isso vale para dias com poucos ou com muitos pedidos, pois a empresa segue sempre todo o fluxo dentro do Tiny mantendo um padrão de qualidade.

No final do fluxo, o pedido é despachado, as informações de rastreamento são enviadas para a Tray e o cliente é notificado para que possa acompanhar o andamento da compra. 

Controle de estoques

Os estoques são controlados totalmente dentro do Tiny. A RS Beer anuncia seus produtos em diversos canais de venda, e este controle se torna ainda mais importante. 

Como utilizam o OMS, os pedidos são automaticamente recebidos no Tiny, que gera uma reserva de estoques para os itens vendidos e atualiza todos os canais com as novas quantidades disponíveis. “Depois de começar a utilizar o OMS, resolvemos a ruptura de estoque em praticamente 100%”, ressalta. 

Logística

Para facilitar o rotina logística, como cotação de fretes, Michel conectou a Frenet no Tiny e também na Tray, importante principalmente quando existem regras complexas para frete grátis. “A logística bem precificada faz a diferença no e-commerce. Cerveja é um produto com baixo valor agregado, então se o frete foi muito alto a empresa não vai vender nada”, destaca.  

Todos os produtos do site ficam armazenados na sede, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do sul e são enviados para todo o Brasil, principalmente via transportadora. Apenas os pedidos do Mercado Livre são enviados via Correios. 

O maior mercado da RS Beer é o sudeste, por não existir muitos fabricantes de cerveja. Com isso, o preço acaba sendo atrativo, estimulando as vendas. Nas palavras do Michel, “é preciso buscar o mercado certo, se não a empresa não sai do chão.”

Relatórios

Para análises de resultados e consultas, a RS Beer faz uso de alguns relatórios que são disponibilizados pelo Tiny: 

  • Relatório de vendas para entender quanto foi vendido e ticket médio, por exemplo;
  • Necessidades de Compra é utilizado para saber o que é preciso comprar para suprir a demanda de vendas;
  • Para conferências de quantidades de produtos, usam o relatório de Saldos em Estoque;
  • Com relatório de visão financeira de estoque, a empresa pode verificar o valor que tem em produto a partir de determinada data;
  • Lote e validade, que tem o essencial para que possam controlar o estoque das cervejas.   

A organização própria da empresa

A empresa tem sua organização própria, fora do ERP. Para tornar cada rotina mais rápida e organizada, Michel mapeou cada procedimento, para que nada seja feito de qualquer jeito. 

Assim fica claro como fazer um cadastro de produtos, como processar cada pedido, como verificar suprimentos, entre outros. Isso é importante porque cada empresa tem seu jeito de trabalhar.

Na hora de fazer qualquer atividade, qualquer pessoa sabe como fazer, inclusive se houver troca de funcionários. Tudo pensado para gastar o mínimo de tempo e dinheiro. 

Concluindo

A história da RS Beer ainda é nova, mas já tem muito para inspirar. Com toda sua experiência no ecommerce, Michel nos trouxe muito aprendizado e com certeza pode motivar outras empresas.

Para concluir, deixamos uma frase que só quem tem muita expertise no assunto pode afirmar: 

Tem que ser muito produtivo para ganhar dinheiro no e-commerce. Esse é o segredo. E é preciso contratar as ferramentas certas para ter sucesso.

Michel