Bem-vindo ao blog do Tiny

A história de criatividade da Zupi.Live

A história de criatividade da Zupi.Live

31.08.2020 por Daniela Borsoi em Cases de sucesso

Da revista criativa ao Pixel Show, a Zupi tem se reinventado ao qualificar o mercado. Conheça os bastidores desta empresa mergulhada na criatividade.

A Zupi é uma empresa que nasceu com a ideia de fomentar e incentivar produções criativas, reunindo o que há de melhor em arte, design, animação, escultura, ilustração, arquitetura e publicidade. Conversamos com os irmãos Allan e Símon Szacher para entender mais sobre a trajetória da Zupi e seu impacto no ramo criativo.

A Zupi tem um papel importante. Além de incentivar os trabalhos criativos no Brasil e no mundo, incentiva as pessoas a criarem projetos, modelos de negócio, ensina como correr atrás de dinheiro e como divulgar o negócio. Imagino a dificuldade que as pequenas empresas têm em crescer sem um planejamento adequado. Queremos que as empresas cresçam. Queremos ver grandes marcas aparecendo e que elas possam virar internacionais.

Allan

Os irmãos Photoshop e Excel

Allan conta que a empresa foi criada por ele, no ano de 2001, mas o empreendedorismo estava em suas raízes há mais tempo, devido a uma parceria com seu irmão Símon. Quando Símon tinha 13 anos e Allan 15, utilizavam um computador para jogar, e seus pais disseram que iriam doar o aparelho se eles não fizessem algo de útil com ele, brinca Allan.

Para contornar a situação, Allan começou a desenhar e Símon ficou responsável por vender estes desenhos. Eles criaram uma empresa chamada Cards & Labels, que acabou se tornando realidade rapidamente. Eram produzidos cartões de aniversário, etiquetas para fechar cartas, cartões de visita entre outros produtos. A empresa acabou sendo fechada quando eles começaram a faculdade, mas a Zupi proporcionou a volta desta parceria anos depois.

Na trajetória da Zupi, Allan sempre foi o responsável pela curadoria e direção de arte, ou seja, a parte mais criativa do negócio. Mas a empresa também precisava ser bem administrada para a saúde dos negócios. Desde 2001, Símon já era sócio na Zupi, enquanto trabalhava com Comércio Exterior em outras empresas. Mas foi em 2006 que entrou definitivamente na Zupi para gerir a parte administrativa e comercial.

Quando entrei de cabeça na empresa, a Zupi não tinha um olho administrativo aprofundado. Agora ajudo na gestão como um todo (administrativo, RH, comercial, marketing, gestão da equipe, busca de novos negócios e parcerias além de captação de recursos, etc), sempre buscando fazer com que as pessoas economizem tempo em suas atividades, alavancando o seu resultado pessoal e consequentemente coletivo.

Símon

Símon também é um “contrapeso” para que as decisões da empresa sejam sempre o mais eficazes e eficientes possíveis, bem como que haja resultado positivo em todos negócios realizados. 

A Zupi sempre trabalhou com economia criativa. O Simon apareceu no momento certo, para organizar a casa, além de correr atrás de dinheiro e patrocínio. Os artistas sempre focam nas ideias, na criatividade, em como vai ser feito um desenho ou uma filmagem. Estão sempre em busca de uma inspiração. Mas eles esquecem de um ponto importante, que é colocar na ponta do lápis quanto custa pagar a conta de luz, o aluguel e os funcionários. E por isso as empresas fecham.

Allan

Devido às habilidades de cada um, os irmãos passaram a ser conhecidos como o Photoshop e o Excel. 

Sobre a Zupi

Tudo começou com a Zupi Design, estúdio que iniciou suas atividades em 2001. Allan sempre foi o artista gráfico da empresa e realizava os trabalhos de design, como branding, edição de revistas, webdesign e ilustrações.
Em paralelo ao ganha pão do Allan, foi criada a revista Zupi, onde as pessoas podiam ter acesso online gratuito a conteúdos relacionados a arte. Sem fins lucrativos, ela foi criada  com o objetivo de divulgar os artistas e registrar o que está sendo feito de criativo no Brasil e no mundo.

A revista foi crescendo com o passar dos anos. A partir de 2006, ela começou a ser distribuída de forma impressa e vai comemorar seu aniversário de 20 anos em 2021. 

A Zupi também é a criadora do maior festival de Criatividade da América Latina, o Pixel Show. O evento acontece anualmente em São Paulo desde 2005, estando no calendário oficial de eventos da cidade. O Pixel Show tem como tema central tendências, inspirações, cultura, arte, inovação e tecnologia, buscando fomentar e abastecer com ideias o mercado da economia criativa. 

Queremos inspirar as pessoas a usarem sua criatividade. As crianças nascem criativas, elas inventam brincadeiras e não conseguem ficar paradas. Quando crescem, passam a nunca ter tempo para pensar em novas ideias, pois tem mil tarefas todos os dias. Acabam ficando engessadas e esquecendo o que é ser criativo. É por isso que precisamos treinar as pessoas para que elas sejam criativas, mostrando tendências na publicidade, arquitetura, ilustração, inclusive com a mistura de todos esses mundos criativos.

Allan

No Pixel Show, os participantes podem conhecer novos métodos e processos, trocar experiências, conhecer outras marcas e profissionais criativos. O evento é dividido em três áreas: 

  • Feira de criatividade, onde os artistas e marcas expõem suas criações (em sua maioria autorais) para o público, contando ainda com inúmeras atividades e experiências únicas, tais como: exposições, arte ao vivo, painel de arte colaborativa, apresentações de música, SharpTalks, lounge XR e simuladores, além de um food park que atende a todos gostos;
  • Workshops, para que os participantes possam aprender com profissionais do ramo criativo;
  • Conferência, onde palestrantes do Brasil e do mundo contam suas histórias e inspiram a todos que participam do evento.

Em 2019, o festival foi finalista no prêmio Cultura do Estado de São Paulo. As principais notícias do evento e deste mercado circulam durante todo o ano nas redes sociais do festival e na revista Zupi. 

O Pixel Show 2020, devido a pandemia, será realizado totalmente online. As pessoas que comprarem ingressos para participar do evento vão ter acesso a um aplicativo, onde poderão assistir a todos os conteúdos oferecidos. 

As pessoas compram o ingresso pela experiência que o evento proporciona. É um desafio enorme transformar o festival em 100% online e queremos apresentar ao público um evento tão bom quanto o presencial neste ano e portanto, o line-up está ficando inédito e com muito mais conteúdo internacional que nos outros anos.

Allan

A feira também será disponibilizada online, para que os participantes possam conhecer e adquirir trabalhos de artistas e empresas que gostarem. Clique para adquirir seu ingresso e participar do Pixel Show.

Por muitos anos a revista foi o carro chefe da Zupi. Mas com o passar do tempo, o Pixel Show ganhou seu espaço e a revista acabou se tornando o veículo oficial do festival.

O ano de 2020 trouxe transformações para a Zupi. Além do desafio de tornar o Pixel Show um evento totalmente online, foi realizada uma mudança no branding da empresa. A Zupi Design passou a ser chamada de Zupi Live, uma produtora de conteúdo que vai englobar o festival internacional de criatividade Pixel Show e a revista Zupi.

Além disso, a Zupi.Live também presta serviços de produção de eventos para clientes e parceiros, curadorias, projetos editoriais, projetos especiais, exposições de arte e tecnologia, criação de experiências, projetos para estandes, entre outras atividades… E claro, sempre com o olhar criativo e “fora da caixa”.

Zupi usa o Tiny ERP

Quando a Zupi começou, tudo era controlado com planilhas de Excel. Mas quando chegaram a números mais expressivos de assinantes da revista, perceberam que era loucura continuar sem sistemas para melhor organização gerencial. A empresa precisava de algo que organizasse as informações, sejam elas financeiras, estoque, dados de clientes e produtos ou ainda para gerenciar leads.

Em uma busca por startups brasileiras, encontraram o Tiny ERP há 6 anos. Para facilitar o recebimento dos pedidos originados no e-commerce, a Zupi realizou a integração entre o Tiny e a plataforma Irroba. Assim, sempre que uma revista ou camiseta do Pixel Show é vendida no site, este pedido é recebido pelo Tiny. Para enviar os pedidos para os clientes, a empresa imprime as etiquetas do Correio diretamente na plataforma da Irroba.

Além da integração com a plataforma, a Zupi faz uso de alguns relatórios oferecidos pelo Tiny. Entre eles, o relatório de estoque, para saber quantas revistas estão disponíveis, e o relatório de vendas são os mais utilizados. 

A empresa está em processo de mudança quando se trata da plataforma de venda de ingressos. A ideia é utilizar uma plataforma que tenha integração com o Tiny, para deixar tudo mais simples.

Após o Pixel Show deste ano, que acontece em outubro, a ideia do Allan é realizar todas as integrações para deixar as rotinas acontecerem de forma fluida dentro do Tiny, economizando o tempo destinado para cada tarefa. 

O futuro da Zupi

Existem diversas ideias para o futuro da empresa. Estamos repensando o business inteiro da Zupi. A ideia é pensar em Pixel Show 365 dias por ano. Queremos que as pessoas tenham acesso a conteúdos criativos e também voltados para business, financeiro, lei do incentivo a cultura, enfim, que agreguem conhecimento para o negócio.

Allan

Uma das ideias citadas pelo Allan é a possibilidade de cada pessoa se tornar um membro, através de assinatura de membership. É uma forma de manter a revista Zupi existindo, visto que não tem fins lucrativos e depende de patrocínio. 

Entre as ideias para esta assinatura, Allan destaca algumas:

  • Criação conteúdos durante o ano todo, além dos conteúdos já disponíveis gratuitamente no Youtube para profissionalizar os artistas; 
  • O assinante recebe uma revista Zupi em sua casa sempre que for lançada, além de posters de artistas; 
  • Direito ao assinante participar do Pixel Show; 
  • Cursos oferecidos pela comunidade Zupi.

Queremos levar o Pixel Show para o mundo. É um desafio, mas acreditamos no potencial dos artistas ao redor do mundo e queremos que eles tenham conhecimento para tocar seus negócios de forma profissional, ao mesmo tempo que inspiram a população mundial, através dos mais variados estilos e nichos de atuação dentro da Economia Criativa.

Allan

O propósito de profissionalizar o mercado

Ao estender o Pixel Show para uma experiência contínua de aprendizado, a proposta da Zupi é levar mais conhecimento para as pessoas através de conteúdos de qualidade.

É assim que ela vem abrindo espaços para que empresas de outros segmentos compartilhem expertise para profissionalizar o mercado criativo.

Precisamos engrandecer a economia criativa. Fazer com que os artistas sejam cada vez mais profissionais no sentido administrativo dos seus jobs, artes, fotos, enfim, independente do segmento que atuam. Queremos que eles sejam organizados. Queremos ajudar eles a crescerem. Este sempre foi o propósito da Zupi e vai continuar sendo.

Símon

A Tiny apoia a Zupi nesse caminho e, por isso, vamos criar juntos conteúdos que possam ajudar a comunidade artística a dar início com a formalização e a empoderar seus negócios, de forma leve e organizada.

Assim como contamos a história da Zupi e mostramos os bastidores de sua gestão, vamos compartilhar cases de sucesso nas redes sociais da Zupi. São empresas criativas que estão se posicionando no mercado e levam a gestão a sério. Fique de olho e inspire-se.