Bem vindo ao blog do Tiny

Criar site do zero: 10 dicas para um e-commerce de sucesso

Criar site do zero: 10 dicas para um e-commerce de sucesso

11.06.2019 por Laika em E-Commerce

Criar site do zero é um grande desafio, mas existe uma série de recomendações que podem ajudá-lo nessa fase. Confira as nossas dicas no novo post.

Montar um e-commerce pode parecer um desafio e tanto para quem nunca teve a experiência de abrir uma loja virtual. Contudo, conhecendo os passos mais recomendáveis para a abertura desse tipo de negócio, é possível aprender como criar seu site do zero sem maiores preocupações.

Continue a leitura para conferir 10 dicas que consideramos as mais valiosas para quem deseja ter um e-commerce de sucesso.

1. Defina qual será seu público-alvo

Uma das primeiras etapas antes de abrir qualquer negócio é definir o público-alvo para o qual você pretende vender. Entendendo as características de determinada audiência, conseguimos oferecer produtos mais apropriados e realizar campanhas de marketing mais eficazes.

Logo, planeje a faixa etária que o seu e-commerce vai cobrir, se vai servir a todos os gêneros ou a um em particular, a classe social a qual pretende atender, se vai focar em um nicho específico, entre outros aspectos.

Estabelecer quem é o seu público-alvo dará um direcionamento às ações iniciais do seu negócio. Quando não temos esse parâmetro, muitas vezes, não vemos nossos esforços darem resultados e acabamos por desperdiçar tempo e dinheiro.

2. Estime quanto precisa investir no negócio

Já que tocamos no assunto dinheiro, outra dica importante diz respeito ao valor que você terá que investir para o negócio começar a operar efetivamente. Para isso, é preciso considerar os seguintes fatores para estimar as suas despesas iniciais:

  • formalização como pessoa jurídica;
  • logística para o recebimento, o armazenamento e o envio dos produtos;
  • estoque inicial;
  • custo de hospedagem, do certificado digital, da plataforma de e-commerce e do sistema de pagamento;
  • despesas com medidas de segurança e privacidade de dados;
  • valores de comissão, caso opte por atuar em um marketplace;
  • gastos com estrutura para atendimento ao cliente.

Vale lembrar que você não precisa começar com uma grande operação para alcançar o sucesso. É totalmente plausível começar pequeno e aumentar a estrutura conforme os negócios melhoram.

Estime o custo de todos os itens da lista acima que forem pertinentes para o seu e-commerce e verifique se é viável tirar o site do papel com o capital de que você dispõe.

3. Conheça bem o mercado

Outro requisito essencial para o negócio ter êxito é compreender o mercado em que o e-commerce pretende se inserir. Além de avaliar a contratação de pesquisas de mercado para estudar certas particularidades do público, responder às seguintes perguntas também pode ajudar:

  • os clientes em potencial têm problemas ou dificuldades que seus produtos serão capazes de solucionar?
  • quem serão seus concorrentes?
  • o que você tem a oferecer de diferencial que fará o público preferir o seu e-commerce à loja de um competidor?
  • você já enxergou a oportunidade de um mercado inexplorado, que poderia ser atendido pelos serviços de um novo e-commerce?
  • as pessoas que você pretende atingir são muito sensíveis ao preço ou aceitam pagar um pouco mais para ter produtos de maior qualidade?

4. Defina canais de venda de forma estratégica

Definir se o e-commerce vai atuar como um site próprio e/ou por meio de um marketplace, como os disponibilizados por B2W (Americanas.com, Submarino, Shoptime, Carrefour, Mercado Livre e Olist), também é uma decisão relevante.

Em uma loja virtual própria, é responsabilidade da sua empresa manter a estrutura de tecnologia e encontrar formas de atrair clientes, como anúncios online e a otimização do site para mecanismos de buscas (SEO).

Apesar disso, um e-commerce nessa modalidade apresenta uma maior autonomia para definir algumas questões, como o design, os métodos de pagamento e a variedade de produtos que estará disponível.

Já quando optamos por um marketplace, estamos sujeitos às regras e limitações daquele sistema. Além disso, o nome da plataforma acaba sobressaindo ao da sua loja, o que pode representar uma barreira para fortalecer a marca no mercado.

Por outro lado, optar por esse caminho é uma maneira de aproveitar tanto a estrutura tecnológica quanto a logística de uma organização com experiência na área. Sem contar que os marketplaces costumam proporcionar um ótimo canal de divulgação, que impactará positivamente nas vendas.

5. Selecione parceiros e fornecedores com cautela

Para que o e-commerce consiga desenvolver um planejamento estratégico adequado e fazer o devido controle financeiro, contar com fornecedores confiáveis é crucial.

Qualquer descumprimento no prazo ou equívoco em atender aos seus pedidos pode comprometer a disponibilidade dos produtos, o que é capaz de decepcionar os clientes e prejudicar os ganhos.

Outro aspecto a considerar é se o fornecedor providencia fotos dos produtos para que você utilize no seu e-commerce. Se elas forem, de fato, de boa qualidade, não será necessário se importar com fotógrafos, câmera, iluminação e outros recursos de imagem, o que agiliza bastante os processos.

Criar site do zero

6. Defina a logística

Fazer um controle de estoque apropriado não é tarefa fácil, então, você precisará decidir se contratará um sistema integrado para isso logo de início, ou se começará com a gestão manual.

Em relação às entregas, é preciso avaliar se é melhor utilizar os Correios ou assinar o contrato com uma transportadora.

Apesar das empresas de transporte serem, na maior parte das vezes, mais eficientes, utilizar os Correios é mais indicado para quem deseja entregar em todo o território nacional.

Tenha atenção também aos custos com as transportadoras, pois elas podem não compensar para um volume pequeno de vendas. Portanto, pesquise bastante para saber a melhor opção para o seu caso.

Além disso, é possível considerar a terceirização. Existem parceiros que podem cuidar da logística enquanto você se dedica a assuntos mais críticos da loja digital.

7. Prepare uma estratégia de crescimento e vendas

Assim que o e-commerce estiver no ar, será preciso tomar ações para que o público passe a conhecer a sua marca. E já que estamos falando de uma loja online, utilizar o marketing digital para aumentar a base de clientes é uma ótima providência.

Aliado ao marketing digital, não podemos esquecer o relacionamento com o consumidor, uma estratégia para aumentar a proximidade entre os clientes e a sua empresa.

Pensar na fidelização da sua audiência através do relacionamento de qualidade, aumentará as chances desse público priorizar as compras na sua loja e não nas lojas dos concorrentes.

Algumas ideias que você pode colocar em prática nesse sentido são:

  • reforçar a autoridade da marca e educar o mercado por meio da publicação de conteúdos de qualidade em seu blog;
  • aperfeiçoar o SEO da loja virtual, tomando o cuidado de não usar conteúdos copiados de outros sites, trabalhando bem as palavras-chave, colocando informações relevantes nas páginas dos produtos, entre outras medidas;
  • investir em anúncios pagos em redes sociais ou em links patrocinados no Google e em outros buscadores;
  • demonstrar atenção redobrada com técnicas de pós-venda, como enviar um e-mail ou mensagem perguntando como foi a experiência com o novo produto e ser solícito com os problemas ou dúvidas.

8. Escolha os meios de pagamento

Oferecer diversos meios de pagamento ao cliente é uma forma de demonstrar respeito às preferências das pessoas no momento em que querem realizar uma compra.

Uma opção para quem está começando um e-commerce é usar um intermediador, uma empresa que fica responsável por assumir o risco da operação e, mais tarde, repassar os valores à loja digital. Normalmente, há taxas maiores, mas pode valer a pena devido à sua fácil implementação.

Outra opção é contratar uma solução completa de pagamento, que oferece as alternativas de boleto, cartão de crédito e débito, integradas ao seu site. Consulte as taxas por transação e o valor da mensalidade, quando houver, antes de fazer a sua escolha.

9. Conheça ferramentas adicionais

Além das soluções que citamos ao longo do artigo, ainda há outras que você pode utilizar para interagir mais com as pessoas ou entender melhor como seu público se comporta. Veja abaixo uma breve lista de ferramentas adicionais:

  • Google Analytics: sistema que oferece relatórios referentes aos dados de tráfego e interações no seu site;
  • Zendesk Chat: software de chat em tempo real;
  • Mailchimp: solução de automação e e-mail marketing;
  • Buffer: ferramenta para gerenciar as publicações nas principais redes sociais;
  • Typeform: software para a construção de formulários e consolidação de pesquisas online.

10. Use um sistema ERP para gestão profissional da loja virtual

Por fim, para que você consiga gerenciar o seu negócio de forma profissional, é essencial dispor de um sistema de ERP. Com ele, você consegue integrar diversos processos em uma solução, deixando o dia a dia do e-commerce mais ágil e organizado.

Entre as vantagens desse tipo de software, que tem tanto versões que funcionam em cloud quanto instaladas em um computador local, podemos citar:

  • catalogação de produtos;
  • controle de estoque;
  • emissão de notas fiscais eletrônicas;
  • fluxo de caixa;
  • controle de contas a pagar e a receber;
  • relatórios de resultado financeiro.

Com todas essas informações ao seu alcance, você terá mais embasamento para a tomada de decisão, fazendo escolhas mais assertivas e evoluindo cada vez mais a sua loja digital.

Aproveite todas essas dicas de como criar site do zero, que evitará uma série de problemas que empreendedores iniciantes no e-commerce enfrentam simplesmente por falta de informação.

E aí, gostou do post? Então, que tal conhecer o que a nossa solução de ERP tem a oferecer para otimizar a rotina do seu negócio? Fique à vontade para entrar em contato conosco.