Bem vindo ao blog do Tiny

Indicadores e métricas para a gestão do seu e-commerce

Indicadores e métricas para a gestão do seu e-commerce

17.06.2019 por Laika em E-Commerce

Ainda não sabe quais indicadores de e-commerce você precisa acompanhar? Então, conheça os principais neste conteúdo.

Para fazer uma gestão eficiente de uma loja virtual é necessário conhecer e acompanhar de perto os indicadores de e-commerce. Chamados de KPIs (Key Performance Indicators), eles auxiliam os responsáveis na gestão de forma que as estratégias sejam mais direcionadas aos objetivos.

Uma única loja virtual pode ter diversos indicadores. Por isso, o primeiro passo é saber quais são os mais importantes para acompanhar e como basear as decisões em cima dessas métricas.

Então, para ajudá-lo a utilizar os indicadores de e-commerce, criamos este conteúdo especial, mostrando a importância e quais são os principais.

Qual é a importância de analisar os indicadores de e-commerce?

Qualquer gestor de e-commerce que deseja ter sucesso com uma empresa precisa saber que não há mais espaço para achismos. A internet aproximou bastante as marcas e seus públicos, além de aumentar o alcance das empresas. No entanto, a concorrência também foi amplamente elevada.

Nesse contexto, aqueles profissionais que tomam decisões com base em achismos acabam contando com a sorte e, muitas vezes, cometem erros que comprometem as estratégias e oportunidades.

Já aqueles que utilizam e analisam os indicadores de e-commerce conseguem embasar as decisões em números e resultados concretos. Por exemplo, imagine que a sua empresa investiu certo valor em anúncios nas redes sociais, como o Facebook e o Instagram. O investimento foi feito durante o período de 30 dias. Então, depois que a campanha foi finalizada, como saber se valeu ou não a pena o investimento? Com indicadores.

Sem eles, é simplesmente achismo. Já analisando os dados, pode-se avaliar qual foi o alcance dos anúncios, quantos visitantes no site foram gerados e, até mesmo, a taxa de conversão em vendas. Ou seja, você terá o valor que foi investido e o que foi retornado. A partir disso, a decisão de repetir a estratégia ou não pode ser tomada com garantia.

Consequências ao não acompanhar os indicadores

É importante saber que quanto menor for a capacidade de prever o comportamento do mercado, maiores vão ser as consequências negativas para o negócio. Para reduzir a possibilidade de erro, é necessário fazer análises contínuas. Sem acompanhar de perto e analisar os indicadores voltados para e-commerce, a imagem da sua loja virtual está em jogo.

Na Internet, todos os movimentos dos consumidores podem ser mensurados, mas procurar compreender tantos dados pode parecer uma tarefa complexa, o que acaba desmotivando alguns gestores de e-commerce.

Tal desmotivação não pode ganhar força, pois a gestão ineficiente de indicadores pode comprometer o potencial de vendas do seu negócio eletrônico, ameaçando sua sobrevivência em longo prazo.

Afinal de contas, as dinâmicas do ambiente virtual mudam com rapidez, e isso demanda correções de rota nas estratégias de vendas e de marketing.

Quais indicadores devem ser acompanhados?

Agora que você já sabe qual é a importância de analisar as métricas e os indicadores de e-commerce, vejamos, a seguir, quais são os principais.

Tráfego do site

Quando falamos em loja virtual, um dos principais indicadores é a presença de visitantes, ou seja, o tráfego no site. Um dos objetivos da marca é justamente levar cada vez mais pessoas interessadas para dentro das páginas. Assim, as chances de gerar negócios se tornam maiores.

O tráfego do site pode ser acompanhado diretamente na plataforma do Google Analytics. Várias ações de marketing devem ser tomadas para elevar esse indicador, tais como campanhas de anúncios, seja no Google Adwords, nas redes sociais, postagens, conteúdos em blog dentro do site, e-mail marketing e muito mais.

Visitas na página de produto

Outro indicador interessante de se acompanhar é o número de visitas diretamente nas páginas de produtos. Isso porque não adianta gerar um alto tráfego se ele não chega até as páginas que podem gerar as vendas.

O ideal é fazer uma análise de tráfego das principais páginas do site, traçando estratégias específicas.

Tempo de permanência no site

Um dos objetivos da equipe de marketing é levar mais pessoas para o site, mas não é só isso. Quanto mais tempo esses visitantes permanecerem navegando nas páginas, melhor.

Um dos principais canais de aquisição de tráfego para qualquer empresa é a busca orgânica. O número de utilizações diárias de sites de pesquisa, como o Google, é enorme. Então, nada mais interessante do que ocupar as primeiras posições dessa busca.

Para isso, é preciso aplicar as técnicas de otimização, conhecidas como SEO (Search Engine Optimization). Com essas técnicas, o seu site ficará mais visível ao Google e aos demais buscadores, gerando maior relevância para os usuários.

Os mecanismos de busca fazem uma leitura na internet para encontrar o que é mais relevante para a busca de um usuário e um dos pontos considerados é justamente o tempo de permanência. Quanto maior for esse indicador, mais o Google entende que a página contém informações úteis para o usuário.

Uma boa dica para aumentar essa métrica é incluir conteúdos relevantes, imagens, vídeos e, até mesmo, áudios.

Taxa de conversão

A taxa de conversão é uma das métricas mais importantes para os e-commerces. Ela avalia a relação entre o tráfego gerado no site e a quantidade de pedidos concluídos, sempre levando em consideração um determinado período de tempo.

Para ficar claro, vamos criar um exemplo. Imagine que um site recebe 20.000 visitantes por mês. Nesse período, a quantidade de pedidos realizados foi de 300. Então, aplicando a fórmula da taxa de conversão, temos:

Taxa de conversão = número de pedidos/tráfego do site = 300/20.000 = 0,015 = 1,5%.

Ou seja, nesse exemplo que criamos, a taxa de conversão foi de 1,5%. Quanto maior for esse valor, mais a empresa está trabalhando as oportunidades para convertê-las em vendas, assim como mais qualificado é o tráfego gerado.

Ticket médio

O ticket médio é um indicador de desempenho, que tem como função calcular quanto, em média, cada consumidor gasta em suas compras em determinado período. Para calcular é simples: dividir o faturamento total pelo número de vendas, sendo ambos do mesmo período, que pode ser um dia, uma semana ou um mês, conforme necessidade de análise. Sendo assim, temos:

Ticket médio = total de receita no período/número de vendas no período.

De forma geral, o aumento do ticket médio é um índice de que as pessoas estão gastando mais a cada compra. Mas claro, é preciso analisar outros indicadores, como margem de lucro e rentabilidade.

ROI

Por fim, chegamos ao ROI, ou Return On Investment. Esse indicador de e-commerce representa o Retorno Sobre o Investimento e também é muito utilizado pelas empresas.

O objetivo desse KPI é mostrar ao gestor o retorno que um determinado investimento gerou ou, até mesmo, comparar a eficiência de duas ou mais estratégias. O cálculo de ROI se faz da seguinte forma:

ROI = (receita – custos)/custos.

A receita utilizada no cálculo é o valor gerado a partir da estratégia que é analisada. Já os custos são relativos aos valores envolvidos para que a estratégia aconteça, como o investimento em anúncios, softwares, salários, entre outros.

CPA (Custo por Aquisição)

Essa é uma métrica para calcular o resultado de suas campanhas de marketing. O Custo por Aquisição indica quanto você precisou gastar para conseguir o resultado esperado. Além disso, é um termômetro para analisar seu investimento em determinada ação. Lembre-se que quanto menor for o CPA, maior vai ser o resultado sobre investimento. Para tanto, temos a fórmula:

Custo por Aquisição = Valor investido / Quantidade de Vendas.

Em uma loja on-line, onde foram feitas 200 vendas e cujo investimento foi de R$10 mil, calcula-se:

  • Custo por Aquisição = R$10.000 / 200
  • Custo por Aquisição = R$50

Caso o resultado desejado por essa campanha fosse uma venda, você gastaria R$50 para fazer com que um consumidor completasse a compra. Para verificar se esse investimento é ou não vantajoso, seria necessário considerar o preço final do produto e as outras despesas para comercializá-lo.

CLV (Customer Lifetime Value)

Esse é um dos indicadores mais relevantes quando falamos sobre e-commerce. Podemos traduzir para valor vitalício de cliente. O CLV ajuda a prever a média de valor que um consumidor gasta em sua loja online. Você pode obter essa média deduzindo o custo por aquisição pela média do valor que gastou adquirindo de sua loja. No entanto, vale destacar que esse cálculo é feito para cada cliente.

Essa informação é essencial, pois permite identificar quais são os compradores que mais confiam e gastam em seu e-commerce. Dessa forma, você pode estudar o comportamento desses clientes, criando estratégias que possam aumentar mais ainda esse valor de compra.

Taxa de abandono de carrinho

Esse indicador ajuda a identificar possíveis falhas no funil de vendas da loja e a entender o comportamento do usuário. Nesse caso, você pode detectar se há algum problema em determinada página, na interface do site, na experiência de compra, entre outras coisas que podem causar o abandono de carrinho. Para calcular essa taxa, utilize a fórmula:

TAC = (total de abandonos / total de compras iniciadas) × 100.

Tempo de vida do cliente

O tempo de vida do cliente, ou LVT (Life Time Value), trata-se do potencial de venda de um consumidor para a marca. Para calcular esse indicador, basta conhecer o tempo médio que seus clientes ficam na sua carteira de clientes e o ticket médio. A fórmula, então, é a seguinte:

Tempo de vida do cliente = ticket médio x quantidade de repetições de vendas x tempo médio de retenção do consumidor com a marca

Esse é um indicador que está diretamente ligado à satisfação dos seus clientes. Um cliente satisfeito vai fazer compras recorrentes, enquanto o cliente que não teve uma experiência muito boa vai procurar um concorrente da sua loja.

Taxa de aprovação de pedidos

Há uma grande diferença entre pedidos pagos e pedidos captados. Alguns desses são simplesmente abandonados pelo consumidor, ou seja, não são pagos.

Então, se você deseja saber a taxa de aprovação de pedidos, vai ter que dividir a quantidade de pagamentos concluídos pelo total de pedidos e, em seguida, multiplicar por 100. Então, você vai ter a taxa de aprovação de pedidos. A fórmula é a seguinte:

Taxa de Aprovação = (Pedidos Pagos / Total de Pedidos) x 100.

Desse modo, se em uma semana 500 pedidos foram registrados, mas apenas 300 foram pagos, tem-se o seguinte:

  • Taxa de Aprovação = (300 / 500) x 100
  • Taxa de Aprovação = 0,6 x 100
  • Taxa de Aprovação = 60%

Logo, nesse exemplo, somente 60% dos pedidos realizados foram efetivados. Outros fatores também podem acabar influenciando nessa métrica, como falta de limite ou recusa da operadora de cartão de crédito. Uma forma de reverter isso é oferecer várias formas de pagamento, garantindo opções para o cliente concluir a transação.

Taxa de cliques

A taxa de cliques indica quantos cliques foram dados em um anúncio, fazendo uma relação com o número de vezes que ele foi exibido. No caso de e-mails marketing, a relação é determinada entre cliques efetivos e número de e-mails enviados. A porcentagem ideal desse indicador para uma campanha é acima de 3%.

Caso a taxa esteja baixa, é importante repensar o conteúdo do e-mail ou do anúncio e testar formatos novos até que o resultado seja favorável. Além disso, é fundamental revisar as palavras-chave associadas e os critérios de segmentação.

Conclusão

Portanto, neste conteúdo, vimos que os indicadores de e-commerce são fundamentais para que uma loja virtual se perpetue e alcance seus objetivos. Esses indicadores permitem que as decisões sejam tomadas a partir de resultados e não sobre achismos e crenças infundadas.

É necessário ter atenção aos indicadores escolhidos para que eles sejam realmente relevantes, direcionando as ações para os objetivos e metas traçados, além de manter um acompanhamento constante e próximo.