Bem vindo ao blog do Tiny

Conheça 7 passos  para abrir uma loja virtual

Conheça 7 passos  para abrir uma loja virtual

05.09.2019 por Laika em E-Commerce

Você já conhece os procedimentos burocráticos essenciais para abrir uma loja virtual? Confira os principais neste post.

Antes de iniciar o processo legal de abertura de uma loja virtual, é importante tomar alguns cuidados e seguir os procedimentos burocráticos que evitarão problemas futuros. O comércio online no Brasil tem um grande potencial, mas tem todos sabem quais são os passos necessários para abrir um e-commerce.

Essa é uma dúvida muito comum para os lojistas que estão iniciando seu negócio nesse mercado. Investir um pouco de dinheiro e de tempo nessa etapa gerará vantagens que serão colhidas no longo prazo pela empresa. Estar com todos os documentos regularizados e ter uma empresa formalizada são os primeiros passos para passar segurança e credibilidade ao público. Além disso, a formalização acaba por abrir portas para a divulgação em outros canais de venda, e um bom exemplo são os marketplaces.

Continue acompanhando o texto para conhecer os 6 principais procedimentos burocráticos para iniciar o seu negócio de acordo com a legislação e ter um ótimo desempenho. Aproveite e boa leitura.

1. Faça o registro do seu domínio

O domínio do site é exatamente o seu endereço na internet. Ele é único, afinal, é o que identificará o seu e-commerce entre tantos outros que existem no mercado. Para fazer a escolha do domínio, sugerimos algumas práticas:

  • opte por nomes curtos e que sejam fáceis de lembrar, evitando termos estrangeiros e caracteres especiais. O objetivo é facilitar ao máximo o entendimento de quem ouve o nome do site e pretende buscá-lo na web;
  • utilize o nome da marca da loja junto a uma palavra-chave que defina a empresa. Apenas usar essa palavra na URL já ajudará muito no posicionamento do seu site nos mecanismos de busca;
  • opte pelos domínios que terminam em “.com.br” para assegurar um posicionamento regional melhor, afinal, os mecanismos de busca identificam a localização do seu host, dando preferência a resultados nacionais.

2. Contrate uma plataforma de e-commerce

Após definir o endereço de acesso e a nomenclatura da sua loja virtual, você precisará contratar uma plataforma de e-commerce. A plataforma de loja virtual é um sistema que permitirá criar o seu e-commerce e geri-lo nas suas mais variadas funcionalidades. Quanto mais completo, contendo as funções essenciais para seu negócio, melhores serão os resultados.

A plataforma é a responsável por criar o seu site e deixá-lo com a cara da sua marca. Sendo assim, é importante escolher alguma que atenda as necessidades de sua empresa. Estamos falando do software responsável por fazer a gestão dos dados do seu e-commerce, e é nele que os clientes vão comprar, portanto garanta a melhor experiência possível, com boas fotos de produtos, descrições completas e facilidade de compra.

Em conjunto com a plataforma, escolha um sistema ERP que tenha integração, para que possa facilitar os processos de venda, como o envio de produtos para a plataforma, gerenciamento de estoques, recebimento dos pedidos e facilidades para o envio das encomendas para os clientes.

3. Escolha do frete para a loja virtual

A logística do seu e-commerce é importante para garantir sucesso do negócio, até porque uma experiência ruim acaba frustrando o consumidor, e este pode deixar de comprar em sua loja. Por isso, o ideal é dedicar um tempo de planejamento para fazer a escolha da forma de entrega da sua loja virtual.

O valor do frete é sempre um grande diferencial para aqueles que compram online. Para o vendedor, no entanto, é um grande dilema. Ele precisa pesquisar as opções logísticas disponíveis e analisar quais empresas fornecem um bom serviço por um preço justo. Além disso, é preciso verificar se as empresas escolhidas transportam o tipo de produto vendido. Um caso específico é o transporte de bebidas, o qual nem todas as transportadoras realizam.

4. Escolha os meios de pagamento

Entre os meios de pagamento mais utilizados pelo público consumidor online, podemos destacar o cartão de crédito e boleto bancário. Apenas nos cartões, o vendedor já pode oferecer inúmeras opções que podem ser interessantes para os clientes.

Além das formas clássicas de pagamento, podem ser oferecidas opções como transferência bancária e Paypal, sendo que este não necessita informar dados do cartão de crédito para compra.

O ideal é oferecer meios de pagamento diversificados para os clientes poderem escolher a melhor forma de pagar suas compras. Para facilitar a organização de todos os recebimentos, é recomendada a utilização de um gateway de pagamento, que centraliza os valores em apenas uma conta, facilitando o financeiro da empresa.

5. Faça a abertura do CNPJ da loja virtual

Para além do registro virtual, ou seja, o domínio do seu site sobre o qual falamos antes, você precisará dar entrada na Junta Comercial do município no qual a sede da sua loja virtual estará instalada para obter o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica).

Para ter mais facilidade nesse processo, é possível contar com a ajuda de um escritório de contabilidade que domine os detalhes dessa questão, evitando, dessa forma, que você perca tempo tentando fazer as adequações para algumas burocracias.

Leve em conta que se o faturamento no ano todo estiver abaixo dos R$ 81 mil, ele poderá se enquadrar na condição de MEI (Microempreendedor Individual), sendo um processo mais simples, que pode ser realizado virtualmente pelo site da Receita Federal.

6. Junte toda a documentação

No meio de todo o processo, há alguns documentos que, de modo inevitável, você precisará ter em mãos, para se preparar adequadamente para todos os processos burocráticos ao abrir uma loja virtual. Veja quais são os documentos básicos:

  • cópia autenticada do comprovante de endereço;
  • cópia do IPTU do imóvel onde a sede da empresa está situada;
  • se o imóvel for alugado, o contrato de locação registrado em cartório;
  • cópia autenticada do CPF (Cadastro de Pessoa Física) e do RG (Registro Geral).

7. Cumpra os prazos

Se você seguir todos os passos anteriores, perceberá que entregar a documentação no prazo determinado será um processo bem simples. Os profissionais que vão auxiliá-lo nessas obrigações legais relacionadas à abertura da sua loja virtual poderão solucionar isso sem grandes problemas.

Após cumprir essa parte, você poderá focar a inteligência e as estratégias da sua empresa, fazendo com que o seu e-commerce esteja preparado para prosperar.

Não se esqueça de que é importante fazer a integração do controle de estoque entre a loja virtual e a física. Caso você mantenha as duas, a primeira medida que deve ser tomada para que problemas sejam evitados é integrar o controle de estoque de ambas as operações. Sem ter um estoque centralizado, há o risco de vender a mesma mercadoria duas vezes.

Veja um exemplo: você tem uma última peça de um produto na sua loja e, na mesma hora em que o vendedor está apresentando-a para um consumidor, outro cliente está pagando pela aquisição na internet. Quem ficará com o produto? De que forma você explicará a um dos consumidores que ele pagou pela mercadoria, mas não poderá levá-la para casa?

Por esse motivo, o mais indicado é juntar todo o inventário em apenas um ponto de controle. A integração diminuirá os problemas de produtos esgotados e de vendas simultâneas, além de reduzir os gastos. Um sistema de ERP ajuda nessa tarefa. O software de gestão reúne todos os dados e concentra os principais processos do negócio.

Seguindo todos esses procedimentos burocráticos que listamos aqui, abrir uma loja virtual será bem mais fácil. Aproveite essas informações para solucionar a abertura do seu negócio da melhor maneira e começar a colher os resultados que você tem buscado.