Bem vindo ao blog do Tiny

Plataforma para loja virtual. Como escolher a ideal?

Plataforma para loja virtual. Como escolher a ideal?

28.02.2019 por Daniela Borsoi em E-Commerce

Conheça os tipos de plataforma para loja virtual e entenda as diferenças entre elas, para que escolha a melhor para seu negócio.

A plataforma para loja virtual é um software que possibilita a criação de uma loja online. Com ela, é possível fazer o gerenciamento dos produtos enviados para a loja, verificar os pedidos feitos por clientes, administrar os estoques, dentre outras rotinas que fazem parte do backoffice do e-commerce.

Sendo assim, escolher a plataforma conforme as necessidades de sua loja virtual é fundamental para que tudo funcione da forma desejada, afinal trocar de plataforma caso a escolhida não seja apropriada, pode ser trabalhoso.

Tipos de plataforma para loja virtual

Ao iniciar um e-commerce, é preciso realizar uma série de pesquisas para que sua loja contenha os recursos necessários para oferecer um bom atendimento aos clientes. Entre as escolhas, é preciso decidir sobre logística, meios de pagamento, sistema para auxiliar nos controles, entre outras decisões.

É preciso pensar em cada detalhe a fim de traçar planos de negócio para que a sua loja tenha um diferencial em meio à concorrência. Além dos citados acima, é importante escolher o tipo de plataforma que será utilizada para montar a loja virtual, visto que a escolhida pode ter seu front-end e seu back-end totalmente customizadas ou com modelos pré-definidos, com a qual será mais rápido de começar a vender.

Back-end é a parte escondida de uma plataforma, o que está atrás das cortinas. É onde se encontram os códigos para que a plataforma possa ser configurada. Já o front-end se trata da visão que o usuário tem da loja virtual, seu design.

Plataforma para loja virtual

Escolhendo a plataforma para loja virtual

No mercado, existem diversas possibilidades de plataformas para e-commerce, que trabalham de diferentes formas para que sejam adaptadas aos mais variados negócios.

A plataforma é a responsável pela visualização da loja de forma online. Uma plataforma completa conta com diversos recursos para otimizar as lojas, como:

  • Cadastro de produtos;
  • Gerenciamento de estoques e preços;
  • Proteção de dados dos clientes;
  • Cálculo automático de frete;
  • Organização dos pedidos, pagamentos e entregas;
  • Relatórios diversos;
  • Desejável: integração de ferramentas para marketing e logística, por exemplo.

Os tipos de plataformas podem ser parecidos, mas cada uma possui recursos, comportamentos e códigos diferentes, para que possam atender as mais variadas demandas.

Conheça alguns tipos de plataformas que podem ser escolhidas:

Open Source (código aberto)

Ao escolher uma plataforma Open Source, a empresa faz o download de um código e precisa contar com um programador para sua utilização. As maiores vantagens deste modelo de plataforma são a customização e alta quantidade de plugins disponíveis que são compatíveis. Como desvantagem, o cliente precisa de uma equipe de especialistas para manter o e-commerce em funcionamento ou terceirizar este serviço.

O modelo open source não gera cobranças de licenças ou taxas, tornando-se uma opção de baixo investimento que pode ser utilizado por pequenas, médias e grandes lojas virtuais. Porém ao utilizar este tipo de plataforma, é preciso contar com profissionais que mantenham esta operação, o que pode gerar alto custo. É preciso analisar os dois lados da moeda ao escolher este tipo de plataforma.

Proprietárias (desenvolvimento próprio)

No caso das plataformas proprietárias, o código é desenvolvido por empresas especializadas ou por um desenvolvedor contratado. A grande vantagem é a customização livre do front-end e do back-end, visto que foi desenvolvido pela própria empresa.

Como a plataforma foi desenvolvida por uma equipe de TI, internamente na empresa, ela se torna responsável por manutenções futuras. E por este mesmo motivo não há custo de aquisição, mas sim de profissionais da área.

Licenciada

É preciso uma licença para poder utilizar o código fonte que foi desenvolvido por outra empresa. Ao utilizar uma plataforma licenciada, é preciso ter uma equipe que saiba construir e fazer a manutenção da loja virtual, para que esta funcione perfeitamente.

A plataforma licenciada possui mais flexibilidade tanto no front-end quanto no back-end. Sobre o custo para utilização, além de pagar a aquisição, o cliente precisa pagar uma taxa de renovação anual.

Saas (assinatura)

A plataforma SaaS (Software as a service) é uma das mais utilizadas no mercado. A estrutura do software é a mesma para todos usuários e o pagamento se dá através de uma mensalidade.

Quando o lojista contrata este tipo de plataforma, ele não precisa de um programador para instalação. O custo normalmente é baixo, ao comparar com as demais soluções. Na maior parte dos casos, é uma plataforma de baixa customização.

E qual tipo de plataforma virtual escolher?

Tudo depende das necessidades que sua empresa precisa para operar online, se exige uma alta customização ou não, se você dispõe de pessoal para configurar ou não. É uma união de diversos fatores que deve ser analisado para que você encontre a melhor opção, a que vai ser ideal para seu negócio.

Uma observação importante é identificar quais oferecem uma melhor experiência mobile, afinal é uma tendência que as compras sejam cada vez mais feitas através de dispositivos móveis.

Estes são alguns dos tipos de plataformas mais utilizados pelas lojas virtuais. Analisar cuidadosamente as opções disponíveis é necessário para que a escolha seja favorável para a organização e ofereça todos os recursos essenciais para proporcionar aos clientes a melhor experiência de compra online.