Bem-vindo ao blog do Tiny

5 principais tipos de e-commerce

5 principais tipos de e-commerce

12.04.2022 por Laika em E-Commerce

Você sabe quais são os principais tipos de e-commerce? Aproveite para entender mais sobre o assunto e conhecer oportunidades para o seu negócio.

Você sabe quais são os principais tipos de e-commerce que existem atualmente? Hoje em dia, já existem lojas virtuais que comercializam produtos diretamente para o cliente final, empresas que comercializam apenas com pessoas jurídicas, plataformas que conectam os consumidores, entre outras.

Esse é um mercado em crescimento, uma vez que as compras na internet recebem cada vez mais adeptos. Por isso, as tendências no e-commerce devem ser acompanhadas pelas empresas.

Para que você compreenda as características que diferenciam os diversos modelos de e-commerce e conheça as tendências da área, preparamos este post. Continue a leitura para ver os detalhes sobre o tema.

Quais são os principais tipos de e-commerce?

Os e-commerces podem ser classificados em inúmeros tipos, mas, inicialmente, vamos explicar as particularidades de 5 opções que levam em consideração se os envolvidos na negociação são pessoas jurídicas, físicas ou governamentais.

1. Business to business (B2B)

As lojas de comércio B2B são as que ambas as partes que participam das transações são pessoas jurídicas, ou seja, empresas. Temos como exemplo uma empresa que vende computadores para uma outra empresa utilizar em seu escritório.

Em geral, são companhias que trabalham com grande volume de itens e em alguns casos exigem até mesmo um valor mínimo por pedido ou uma quantia mínima de produtos.

Como os clientes são empresas, costuma haver uma exigência maior com relação ao prazo de entrega — motivo pelo qual esse tipo de e-commerce deve contar com setor logístico rápido, boa capacidade de estoque e taxa de entrega competitiva.

2. Business to consumer (B2C)

Já o e-commerce B2C corresponde às vendas que acontecem de empresas (pessoa jurídica) para consumidores (pessoa física). Apesar de existirem lojas que oferecem o e-commerce como um canal adicional para a compra, não é preciso ter uma loja física para o funcionamento do negócio.

3. Consumer to consumer (C2C)

O e-commerce C2C, por sua vez, permite que consumidores vendam para outros consumidores, sem necessidade de emitir nota fiscal. Neste caso, apenas com a declaração de conteúdo é possível enviar o produto para o cliente. 

Em geral, essa transação é feita por meio de uma plataforma que faz a mediação entre as partes e permite a divulgação dos produtos em troca de uma taxa, como o AliExpress e Mercado Livre.

4. Consumer to business (C2B)

Também existem e-commerces que permitem a troca de bens de pessoa física para pessoa jurídica, chamados C2B. Trata-se de uma modalidade  que rompe com as maneiras tradicionais de compra e venda de produtos.

Um exemplo de e-commerce C2B que costuma ser bastante difundido são os bancos de imagens. Nesse tipo de plataforma os profissionais podem enviar fotos ou vídeos, que ficam disponíveis para que as companhias adquiram para uso em seus sites ou materiais de divulgação.

5. Business to administration (B2A)

O modelo B2A diz respeito a transações feitas entre empresas e administração pública. Para que seja possível fornecer produtos ou serviços para o governo a empresa deve estar com o pagamento dos impostos em dia e cumprir com a legislação trabalhista. Além disso, é necessário realizar um cadastro no sistema nacional de fornecedores e vencer licitações.

Quais são as tendências no e-commerce?

Agora que você já sabe quais são os 5 principais tipos de e-commerce, vamos apresentar mais detalhes sobre as tendências do momento para esse tipo de comércio.

Experiência omnichannel

Proporcionar uma experiência omnichannel para o consumidor, também chamada multicanal, é cada vez mais necessário e deve se tornar uma prática frequente no mercado.

Para que isso seja possível, é preciso que o comércio digital e físico estejam conectados, o que garante uma experiência melhor e mais completa para o consumidor que, por sua vez, pode adotar a ação que parece mais prática e fácil naquele determinado momento para realizar uma compra.

E com a ideia de proporcionar uma verdadeira experiência omnichannel, não basta somente ter um ponto de venda virtual e outro físico. É necessário proporcionar integração e a mesma experiência em todos os canais de venda e comunicação da empresa, além de dar a chance de o cliente consumir como e onde ele desejar.

Diversas opções de pagamento

Mais uma relevante tendência do e-commerce é proporcionar diferentes formas de pagamento para o cliente, especialmente os meios ágeis de pagamento que tornam o processo de compra mais rápido e fácil, como Paypal, PIX, Google Pay, etc.

M-commerce em alta

As compras realizadas via smartphone, ou m-commerce, representam grande parte do varejo online global. De acordo com a Webshoppers, em 2020 as compras através de smartphones representaram 55,1%.

A tendência é que continue crescendo nos próximos anos, uma vez que grande parte da população já comprou online por meio do dispositivo.

Personalização da experiência

Personalizar a experiência é uma exigência cada vez mais relevante no futuro do e-commerce em diferentes aspectos, uma vez que os clientes prezam cada vez mais por um atendimento individualizado e atencioso, que atenda suas necessidades no menor tempo possível.

Sustentabilidade e responsabilidade social

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com causas sociais e sustentabilidade. Esse tipo de mentalidade reflete no comportamento de compra do indivíduo, que pode passar a consumir mais das companhias com responsabilidade social e que prezam pelo consumo sustentável.

Por isso, diversas organizações estão apostando, por exemplo, na utilização consciente de recursos naturais e na diminuição do uso de alguns materiais, como o plástico.

Busca por voz e voice commerce

Já é comum que consumidores entrem em mecanismos de busca e procurem por produtos que desejam comprar usando a busca por voz. Assim, como se trata de uma ferramenta já usada com frequência pelos consumidores, a tendência é que cada vez mais lojas virtuais adotem esse tipo de recurso em seus sites.

Drones entregadores

No futuro, tudo indica que os drones entregadores devem fazer parte do e-commerce para agilizar o transporte dos pedidos. Algumas empresas, inclusive, já estão fazendo testes com esse tipo de entrega.

Os drones entregadores conseguem automatizar e administrar o frete em diferentes volumes sem qualquer tipo de intervenção humana e contam com diversos benefícios, como os seguintes:

  • aumento da velocidade da entrega;
  • diminuição no custo do frete;
  • reduz as chances de falha humana;
  • diminui as emissões de CO₂;
  • aumento da satisfação do cliente.

Conclusão

Como vimos, existem inúmeros tipos de e-commerce e neste artigo você pode conhecer os mais utilizados, como o B2B, B2C, C2C, C2B e B2A. Além disso, observou quais são as principais tendências para o mercado online.

Gostou de saber mais sobre os diferentes tipos de e-commerce que existem e como eles funcionam? Para que seja possível se destacar no mercado, coloque em prática as dicas que apresentamos e lembre-se que é importante sempre se manter atualizado com as novidades da área.

Siga-nos nas redes sociais para receber atualizações sobre nossos novos conteúdos. Estamos no Facebook, Telegram, Instagram e LinkedIn.