Bem-vindo ao blog do Tiny

Pix: novo meio de pagamento para oferecer aos clientes

Pix: novo meio de pagamento para oferecer aos clientes

15.04.2021 por Laika em Finanças, Gestão

Oferecer pagamentos via Pix pode trazer grandes benefícios para o seu negócio. Veja como usar.

O PIX é uma opção para pagamentos rápidos. Ele traz a facilidade de transferir valores entre contas de forma instantânea. São infinitas as possibilidades de utilizar o PIX, o que faz com que o serviço possua mais de 45 milhões de usuários no Brasil desde fevereiro de 2021, conforme o levantamento do Banco Central.

Com o número de usuários crescendo, a novidade é interessante para oferecer aos seus clientes, seja para vender online ou na loja física.

Seus clientes podem utilizar o PIX para fazer pagamentos através dos aplicativos ou internet banking das instituições financeiras em seus dispositivos móveis. Oferecer esse meio de pagamento pode melhorar a experiência do consumidor e ainda ajuda a movimentar o seu caixa mais rapidamente.

Por isso, conhecer os detalhes dessa modalidade, como ela funciona e como pode ser usada no seu negócio é muito importante.

Para entender mais detalhes sobre o PIX e como usar na sua empresa, confira este conteúdo.

O que é o PIX?

O PIX é um meio de pagamento criado pelo Banco Central e disponível para uso desde 16 de novembro de 2020. Ao usar o sistema, o usuário consegue fazer um pagamento ou transferência a qualquer hora do dia, independentemente do expediente bancário.

Os valores são compensados imediatamente, 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive em finais de semana e feriados. Por isso, o PIX pode ser usado para os estabelecimentos físicos e também para o e-commerce.

O propósito desse novo meio de pagamento é agilizar e reduzir os custos das operações bancárias. Para utilizar, basta ter uma conta em algum tipo de serviço vinculado ao PIX, que não precisa ser, obrigatoriamente, um banco.

Diversas soluções de pagamentos digitais, cartões pré-pagos e Fintechs oferecem pagamentos por PIX para seus clientes. Alguns exemplos dessas alternativas são o Nu Bank, Mercado Pago, Pagar.me, a conta digital Ewally, Nubank, Fitbank e BanQi.

Como o PIX funciona?

O maior benefício do PIX é não ter burocracia. Quando uma pessoa deseja fazer um pagamento com PIX, ela pode fazê-lo de mais de uma forma:

  • informando os dados bancários ou chave PIX do recebedor no sistema do banco;
  • fazendo a leitura do QR Code (Quick Response Code, ou código de resposta rápida) pela câmera do celular ou tablet diretamente nos aplicativos financeiros ou internet banking;
  • copiando o código fornecido pelo recebedor e colando no sistema do banco (PIX copia e cola)

Se uma pessoa desejar receber pagamentos sem precisar informar todos os dados bancários, basta informar sua chave Pix, previamente cadastrada na instituição financeira. 

Essa chave é um código, que pode ser o número de telefone, CPF, CNPJ ou e-mail, e precisa ser única para cada banco escolhido. Ex: Em um banco é utilizado o CPF e em outro o telefone para cadastrar o PIX.

 É possível também gerar uma chave aleatória, que são códigos emitidos direto no sistema do banco. Essas chaves são representadas por uma sequência de números, letras e sinais e também por um código QR Code. 

Assim, toda vez que a chave for utilizada para pagamentos, as informações da conta são carregadas automaticamente no sistema PIX, sendo necessário apenas informar o valor a ser pago.

Quando a operação for confirmada, o pagamento será concluído. Em alguns instantes, o valor aparece na conta do recebedor, mesmo que o pagamento seja feito fora do horário bancário.

No entanto, não é obrigatório ter chaves cadastradas para usar esse tipo de transferência. Para receber pagamentos pelo PIX, também é possível informar os dados bancários completos no sistema e fazer uma transação, assim como faria com uma transferência por DOC ou TED.

Outro ponto relevante é que essa opção de pagamento está disponível em diversas instituições, não somente nos bancos. Assim, pessoas sem cartão e sem conta em banco podem usar PIX, criando uma opção de pagamento eletrônico mais simples e rápida que os boletos bancários.

O atendimento à chamada população desbancarizada é feito por empresas de pagamentos, aplicativos e outras plataformas como o PicPay, Recargapay, Cartões pré-pagos e carteiras digitais como o Mercado Pago, que oferecem a opção de transferência por PIX.

O PIX é gratuito para todos?

Segundo o Banco Central, o PIX é gratuito e ilimitado para as pessoas físicas. Também não há taxas para receber transferências via PIX, desde que não se trate de venda de produtos ou prestação de serviços.  

Já as pessoas jurídicas, em regra, podem ser tarifadas pelo uso do PIX. No entanto, os Microempreendedores Individuais (MEI) e as Empresas Individuais de Responsabilidade Limitada (EIRELI), também são isentos nas operações de transferência online ou de recebimentos, desde que sem caráter comercial.

Para saber se sua empresa pode utilizar o PIX sem custos ou com tarifas mais vantajosas, é interessante pesquisar as opções do mercado. Muitos bancos têm oferecido condições especiais para quem quer receber pagamentos pelo novo sistema, então é bom avaliar as ofertas disponíveis nesse sentido.

O PIX é seguro?

O Banco Central planejou o PIX com um padrão de segurança de dados semelhante ao da rede bancária tradicional. O sistema é feito com base na chamada transmissão por mensageria. Essa tecnologia faz com que as mensagens enviadas no sistema sejam assinadas digitalmente, transitando em uma rede protegida, que não é a mesma da internet.

Apesar de o cliente precisar estar conectado à internet para fazer um PIX, a comunicação entre as duas instituições financeiras é feita no sistema do Banco Central, que é offline. Como os dados circulam criptografados, em uma rede separada da internet, estão menos sujeitos a interceptações e fraudes do que estariam no ambiente online.

Todas as informações do sistema PIX ficam armazenadas no Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT), que conta com criptografia e proteção a dados pessoais. O sistema também conta com mecanismos para verificar transações e impedir fraudes. Assim, a segurança das transferências é parecida com a da rede bancária tradicional, para todos os envolvidos.

Quais as vantagens de aceitar pagamento pelo PIX?

Como o pagamento por PIX é instantâneo, ao utilizá-lo em sua loja virtual, agilizará o prazo de processamento dos pedidos. Assim que o cliente concluir a compra, será possível iniciar o processo de separação dos pedidos para posterior envio. 

Já na loja física, o fechamento da venda pode ser ainda mais rápido, já que o cliente pode ler o QR Code pela câmera do celular e transferir o dinheiro diretamente para a conta da empresa.

Além disso, os valores são compensados imediatamente, melhorando o fluxo de caixa da empresa, que não precisa aguardar a compensação de transações neste caso. 

Como as tarifas do PIX costumam ser mais baratas do que nos outros meios de pagamento, o custo final da operação também é menor.

Como usar o PIX no seu negócio?

Para que o cliente possa usar o PIX no seu negócio, será necessário habilitar essa opção no seu sistema de checkout. Para isso, confira com a plataforma de sua loja virtual ou no marketplace utilizado por sua empresa como é feita a inclusão do PIX nas opções de pagamento.

Todos os bancos e as principais soluções de pagamento online, como Mercado Pago, PicPay, Pagar.Me e Pagseguro já permitem que a empresa cadastre uma chave PIX para recebimento de pagamentos em compras. Seja em seu site ou nos marketplaces, o cliente precisará ter como selecionar o pagamento por PIX, obtendo as informações para fazer a transferência.

Seu negócio pode disponibilizar chaves PIX ou então escolher entre QR Code estático ou dinâmico para facilitar o processo. Ambos funcionam como uma ferramenta de cobrança, mas existem algumas diferenças:  

QRCode Estático

Pode ser utilizado para diversas transações, e você pode definir um valor fixo para um produto ou permitir que o pagador informe o valor a ser pago. É recomendado para pequenos varejistas, pessoas físicas e prestadores de serviços.

QRCode Dinâmico: 

Nele, também é possível incluir informações como a identificação de quem vai receber o dinheiro, portanto, em cada transação deve ser gerado um novo QR Code. Pelo fato de poder ser usado apenas uma vez, é indicado para lojas virtuais, em que ao final da compra é gerado o código exclusivo, ou então para cobranças formais.

É muito importante informar para o cliente como funciona o processo de confirmação do pagamento, quanto tempo ele demora e se há necessidade de envio de comprovante.

Para que o PIX seja realmente útil e interessante, é importante se organizar para identificar os pagamentos e iniciar o processo de despacho dos pedidos rapidamente, aproveitando que o PIX confirma os pagamentos de forma ágil, o que agiliza o fluxo do pedido.

Fazer promoções, oferecer brindes, descontos e outras condições especiais para quem paga com o Pix são algumas estratégias para tornar a opção mais atrativa para os clientes, caso seja o seu objetivo aumentar o recebimento por esse meio.

Concluindo

Para que sua loja virtual passe a aceitar o PIX, é importante entender que se trata de uma forma de pagamento imediata, segura e acessível. 

Oferecer essa forma de pagamento em uma loja virtual é uma comodidade interessante para os clientes, pois aumenta as opções de meios de pagamento e agiliza o processamento dos pedidos.

Pense de forma estratégica no seu negócio e sempre ofereça as opções de pagamento de acordo com as necessidades do cliente. Dessa forma, vai gerar uma boa experiência de compra, deixando-os satisfeito.