Bem-vindo ao blog do Tiny

6 dicas para evitar um frete muito caro

6 dicas para evitar um frete muito caro

04.03.2021 por Laika em Logística

Separamos 6 dias para que você evite pagar um frente muito caro em seu e-commerce, tornando-o mais rentável.

Oferecer diversas opções de frete no e-commerce é algo estratégico e capaz de promover muitas vantagens. Por exemplo, pode aumentar as vendas, gerar mais satisfação ao cliente e otimizar as margens financeiras. Além disso, pode evitar um frete muito caro.

Na medida que o custo do frete aumenta (proporcionalmente ao preço do produto), é menos provável que o cliente prossiga com a compra online. Isso tem uma série de implicações e pode colocar em xeque a viabilidade econômica da loja virtual.

Exatamente por isso é que você deve entender o que fazer quando o frete é muito caro, além de saber como calcular o seu custo. Dessa maneira, poderá desenvolver estratégias para evitar valores muito altos e garantir que seu e-commerce permaneça competitivo.

Até o término deste artigo, você vai entender como o cálculo do frete é feito, além de como controlar seu custo e criar uma rotina de melhoria contínua dos resultados. Boa leitura.

Entenda como o cálculo do frete é feito

Normalmente, um e-commerce não conta com entrega própria. Ele atua em parceria com empresas de logística para que os produtos comercializados cheguem até os seus clientes, o que é vantajoso por fatores como abrangência das entregas e economia em escala.

Por esse motivo, o custo e o cálculo do frete costumam fugir do controle do gestor e ficam a critério da operadora logística. Logo, o melhor a fazer é conhecer os fatores que influenciam a precificação da entrega e administrar rigorosamente cada um deles.

O cálculo do frete obedece a determinados parâmetros e considera alguns vetores.

Vetores genéricos que determinam o cálculo do frete

Distância: o primeiro vetor é a distância, que é o percurso entre o endereço de partida do produto e o local de entrega ao cliente final. Esse vetor é especialmente útil no Brasil, dado que o país tem proporções continentais e muitos clientes moram em regiões periféricas.

Peso: o segundo vetor é o peso. Produtos mais pesados demandam mais tempo e esforço da equipe de logística, muitas vezes até mais cuidado — o que influencia bastante o cálculo do frete. O peso está diretamente ligado ao terceiro vetor do cálculo.

Volume total da remessa: o terceiro vetor trata do volume. No Brasil, o frete normalmente é feito em caminhões-baú ou veículos menores. Cada centímetro de espaço é valioso e interfere no valor final. Caso o seu produto, ainda que leve, exija muito espaço físico, o custo certamente será maior.

Vetores específicos que determinam o cálculo do frete

Além dos vetores genéricos, existem fatores específicos que podem influenciar o cálculo do frete até o cliente. Alguns dos principais exemplos são a agilidade do processo de entrega e a utilização de seguros específicos. Ao aplicá-los, o custo total do frete tende a subir.

Entrega: por vezes, operadoras de logística disponibilizam programas de entrega rápida. Eles são opcionais, dada a demanda de cada cliente. Entretanto, essa agilidade tem um preço que eleva o custo final do frete.

Seguro: outro vetor é a aplicação de seguros, especialmente para produtos de alto valor agregado, objetos frágeis ou raros. O seguro pode cobrir o cliente ou e-commerce quando o objeto de entrega for danificado, perdido ou roubado.

Simulação do cálculo do frete até o cliente

Para facilitar o cálculo do frete, muitas empresas de logística disponibilizam simuladores. São softwares que oferecem uma prévia do valor dessa operação, tendo em vista as variáveis citadas acima. Em geral, são sistemas fáceis de entender e usar.

Um ótimo exemplo é o sistema de simulação dos Correios, que ajuda você a observar mais detalhadamente o preço e o prazo das entregas. Para tanto, basta incluir informações gerais sobre o produto, o serviço de entrega que será utilizado e a distância total que precisará ser percorrida.

Felizmente, hoje, as plataformas de e-commerce contam com simuladores próprios e integrados às principais operadoras de logística. Desse modo, na hora da compra, o cliente pode ter uma prévia do frete e decidir sobre o fechamento ou não da sua compra.

Cálculo do frete em proporção ao valor total

Ainda considerando o cálculo do frete, é importante ter clareza sobre o quanto ele representa do valor total da sua venda. Na medida em que o custo se equipara ou até supera o preço do produto comercializado, mais difícil é concretizar a venda.

Nesse caso, deve-se relacionar o custo do frete ao preço total da venda e compreender o quanto ele representa. Em outros termos, você deverá utilizar a seguinte fórmula:

Representatividade (%) = custo do frete (R$) / preço total da venda (R$) x 100

Sendo assim, se você está vendendo um produto de R$ 500,00 e o frete custa R$123,00, o valor total da sua venda é R$623,00 e a representatividade do frete é de 24,6% dela [(123,00 /500,00) x 100 = 24,6]. Quanto menor o percentual de representatividade, melhor.

Descubra 6 dicas para controlar o frete

Como você pode observar, o custo do frete é dado pela operadora de logística. No entanto, à medida em que você compreende os vetores que determinam esse aspecto, é interessante empregar estratégias baseadas nisso para beneficiar o e-commerce e os clientes finais do empreendimento.

É preciso, portanto, pensar em táticas que deixem o frete mais acessível. Negociar custos mais atraentes com o operador logístico e compactar seu produto para que ele tenha dimensões menores, e fáceis de transportar são alguns exemplos.

Adiante, serão apresentadas 6 dicas que não exigem que você reduza suas margens financeiras para vender mais. Muito pelo contrário, quando bem-aplicadas, podem fazer com que seu e-commerce cresça de forma lucrativa.

1. Comece com um ótimo diagnóstico

O primeiro passo para controlar os custos relacionados ao transporte é o diagnóstico. Reflita acerca da seguinte questão: por qual razão, no seu e-commerce, o preço do frete é elevado demais? O mais provável é que seja reflexo de um dos vetores citados ou um misto de todos eles.

Para encontrar a resposta, analise seus dados. Avalie as últimas vendas que foram feitas, calcule o valor do frete e sua representatividade no preço final do produto. O que as vendas com custos de frete proporcionalmente mais alto têm em comum? Aí está sua resposta.

Outra estratégia é pensar em uma dinâmica de causa-efeito. Veja bem, se o efeito que está analisando é o frete elevado, qual a sua causa? Um número muito alto pode ser causado, por exemplo, pelo processo ineficaz de empacotamento e respectivo aumento do volume.

Dependendo de onde está o seu “gargalo”, o plano de ação deverá ser diferente. Você não pode tratar um frete excessivamente alto por conta da distância como um que é elevado por conta do volume. Ou melhor, a solução será desenvolvida a partir do desafio identificado.

2. Invista em parcerias estratégicas com operadores

Outro ponto importante é desenvolver parcerias estratégicas. Por vezes, você consegue fechar um plano de entregas com operadores logísticos, de modo que o custo final do frete torne-se menor e mais acessível à sua loja virtual.

Nesse caso, é importante que o seu e-commerce esteja devidamente formalizado. Isto é, conte com CNPJ e outros documentos legais. Isso porque os operadores logísticos contam com planos voltados para relações com outras empresas, sobretudo com e-commerce.

Ainda é possível tentar uma negociação. Converse com o operador logístico para que suas entregas contem com uma taxa de desconto que possa ser repassada a seus clientes. É bem provável que, na medida em que suas vendas crescem, você tenha acesso a descontos.

Para uma boa negociação, tenha uma meta em mente. Por exemplo, reduzir em 5% o valor do frete. Pergunte ao seu fornecedor como você pode alcançar o desconto desejado e quais outras vantagens pode acessar, pois, assim, você poderá obter melhores resultados.

3. Trabalhe mais nos preços e números dos produtos

Uma terceira dica é investir em uma boa tática de precificação, de modo que você tenha margem financeira suficiente para cobrir parte do frete ou oferecer cupons de desconto ao cliente. Assim, você deixará os consumidores mais felizes e propensos à compra.

Para tanto, ainda na hora de calcular o preço dos produtos, defina uma margem que será entregue como cupom ao cliente final. Por exemplo, 10% ou 15% do preço do produto podem ser revertidos em um cupom de desconto no frete e abatidos do valor final da compra.

É crucial que esse desconto seja bem-planejado, caso contrário, isso pode afetar o desempenho financeiro do e-commerce e promover margens líquidas realmente baixas ou até negativas. Logo, você deve estudar mais sobre precificação de produtos, especificamente markup.

Além de um ótimo trabalho com números, você precisa comunicar isso bem ao cliente. Mostrar que seu e-commerce está oferecendo um cupom de desconto para contribuir com o valor do frete e deixar a compra mais acessível. O cliente se sentirá privilegiado.

4. Construa mais combos e reforce as vendas cruzadas

Como explicado, à medida que a representatividade do frete aumenta, torna-se mais difícil finalizar uma venda. Os clientes sentem que estão pagando caro e que talvez não seja uma boa opção efetivar a compra. Isso prejudica o faturamento e o crescimento do e-commerce.

Para mudar essa percepção, é importante aumentar o ticket médio das vendas. Ou seja, fazer com que os clientes comprem produtos mais caros ou em maior quantidade, de modo que o custo do frete torne-se menos representativo e importante para o fechamento.

Imagine, por exemplo, um cliente que quer comprar um livro de R$30,00. Arcar com R$20,00 em frete é um valor desencorajador. Entretanto, se o mesmo consumidor opta por comprar um combo com 4 livros, totalizando R$120,00, é mais fácil pagar R$20,00 em frete.

Nesse caso, o melhor é criar combos de produtos, ou seja, kits planejados. Outra opção é investir mais em vendas cruzadas, que são recomendações de compra, dado o que já está no carrinho do cliente. Desse modo, o ticket médio das vendas crescerá significativamente.

Outra possibilidade é oferecer frete grátis a partir de determinado valor de compra, de modo que os clientes sintam-se encorajados a incluir mais itens no carrinho. Assim, você terá um ticket médio de vendas mais alto e margem financeira para trabalhar o frete.

5. Melhore a distribuição das suas instalações

Você já sabe que um dos maiores vetores para o cálculo do frete é a distância. A questão, então, é: como encurtá-la e deixar seu e-commerce mais perto dos clientes? A resposta está no local de partida (estoque) ou no ponto de retirada (entrega) do produto.

Muitos e-commerces já investem na distribuição estratégica dos seus estoques, visando a cobertura de uma maior região geográfica. Isso pode ser realizado com estruturas próprias ou com o fechamento de parcerias. Temos como exemplo o Fulfillment, onde a empresa armazena seu estoque em um local geograficamente estratégico, para que as entregas aos clientes sejam mais rápidas e com menor custo.

Você ainda pode investir em uma estratégia omnichannel, na qual o cliente compra o produto online e tem a opção de retirar o produto em uma loja física do e-commerce, sem pagar nada pelo frete.

É preciso destacar, porém, que as estratégias de distribuição de estoques ou de pontos de retirada exigem uma gestão ainda mais ativa e pontual dos recursos. Torna-se  mais importante controlar e monitorar seus estoques, assim como suas entregas.

6. Invista em embalagens mais compactas

Um dos maiores problemas é enviar remessas de produtos em embalagens grandes e delicadas. Elas oneram a operação logística, demandam mais espaço e cuidado. Tudo isso eleva o custo e faz com que o cliente final pague mais caro.

Para contornar essa situação, é preciso pensar na embalagem dos seus produtos como um fator utilitário. Isto é, como um mecanismo capaz de facilitar e desonerar sua logística, bem como agregar valor ao cliente. Isso demanda um trabalho em design de embalagem.

Nesse caso, a melhor estratégia é buscar um profissional dedicado ao assunto e avaliar como uma boa embalagem pode facilitar sua logística. Felizmente, hoje, existem muitas alternativas e tecnologias dedicadas, o que pode simplificar bastante seu trabalho.

Saiba como melhorar continuamente

É muito importante entender que, no e-commerce, o trabalho com frete não é algo pontual. Como a logística representa parte significativa das despesas, é preciso monitorá-la com zelo e consistência diária. Ou seja, é preciso fazer do controle do frete uma rotina de trabalho.

Por causa disso, o mais recomendado é que o gestor do e-commerce invista em programas de melhoria para a gestão dos custos com frete. É preciso que ele delimite e monitore indicadores de desempenho, identificando e corrigindo gargalos de forma contínua.

Se o controle não se tornar uma rotina (além de prioridade), o frete pode representar um custo cada vez mais alto e inibir compras, além de colocar seu e-commerce em uma posição de desvantagem. Veja, portanto, alternativas para construir uma rotina de controle.

Adote um programa de melhoria contínua

Melhorar continuamente é um importante objetivo ao e-commerce. Sendo assim, é preciso garantir que resultados maiores sejam alcançados com os mesmos recursos (ou com menos recursos). Para tal fim, é necessário adotar programas de melhoria, como o ciclo PDCA.

O ciclo PDCA baseia-se em 4 etapas: planejamento, execução, controle e ação corretiva. Sua missão é garantir que as ações sejam deliberadas e corrigidas continuamente, promovendo resultados cada vez melhores. Assim, as tarefas do e-commerce podem ser aprimoradas.

No caso do frete, você deve planejar como ele pode ser reduzido ou mais bem gerenciado para, depois, colocar o plano em execução. Em seguida, deve partir para a checagem dos resultados e, então, agir corretivamente, no intuito de eliminar falhas ou padronizar seus acertos.

Quanto mais o ciclo planejamento-diagnóstico-correção se repete, mais bem gerenciado torna-se o frete e menores serão os custos. Além disso, a própria relação com operadores de logística pode ser otimizada, gerando resultados do tipo ganha-ganha.

Estabeleça metas e indicadores de desempenho

Outro ponto importante é trabalhar com metas. Defina periodicamente os objetivos para reduzir seus custos com frete ou aumentar a eficiência operacional, de modo que isso onere menos a empresa e gere mais acessibilidade financeira para os clientes.

Boas metas devem contar com o padrão SMART. Logo, devem ser específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com tempo (prazo) bem-definido. Além disso, elas devem ser bem comunicadas ao time de trabalho, garantindo que todos fiquem alinhados aos afazeres.

Também é importante definir indicadores de desempenho. A representatividade do frete sobre o valor total da compra, explicado no início deste artigo, é um dos mais relevantes. É preciso encontrar e adotar outros indicadores que façam sentido à sua operação logística.

Avalie os resultados financeiros do e-commerce

Um ótimo exercício é calcular, trimestralmente, o quanto seus gastos com frete oneram o faturamento do e-commerce e impactam o resultado líquido do exercício. Desse modo, você terá uma boa noção do que está em “jogo” e do quanto a administração do frete importa.

Para tanto, basta relacionar o quanto das suas receitas foram revertidas em frete e o quanto isso representa do faturamento total do seu e-commerce. Ou seja:

Gastos com frete (%) = receitas revertidas em frete (R$) / receitas totais (R$) x 100

Por exemplo, se seu e-commerce faturou R$ 300.000,00 no último semestre e, deste valor, R$ 90.000,00 foi revertido em frete, é sinal de que seus gastos com o transporte representam pelo menos 30% da sua receita [(90.000/300.000) x 100 = 30].

É interessante acompanhar esse indicador de maneira recorrente, de modo que se crie um histórico para o e-commerce. Isso facilitará a projeção de cenários competitivos e também a identificação de demandas sazonais que aumentam os custos com frete.

Fique de olho na sua concorrência

Seus concorrentes podem ensinar bastante para a sua empresa e mostrar estratégias que ainda não foram pensadas, mas que podem ser aproveitadas em seu e-commerce. Exatamente por isso, é preciso manter os olhos na concorrência e estudar o que eles estão fazendo.

Para tanto, o melhor é investir em uma tática de benchmarking. Isso significa que você deve selecionar alguns concorrentes que trabalham bem os custos com frete e estudar o que eles estão fazendo nesse sentido, depois adaptar e integrar o que é relevante ao seu negócio.

O objetivo não é copiar a concorrência, mas manter-se na vanguarda do mercado e aprender rapidamente. O segmento de e-commerce é ágil e competitivo, então você não pode ficar para trás, sobretudo quando o assunto é custo com frente.

Conclusão

Lembre-se sempre que um frete muito caro pode gerar uma série de prejuízos ao seu e-commerce, sobretudo ao inibir compras e enviar os clientes para a concorrência. Portanto, é preciso agir com rapidez e precisão.

Primeiro, é preciso compreender que existem diversos vetores que influenciam o cálculo do frete. Distância geográfica, peso do produto e volume da embalagem são três dos mais relevantes. Porém, existem outros, como a agilidade da entrega e o uso de seguros.

Além disso, é importante pensar no frete em proporção ao valor final do seu produto. Uma entrega não é cara por conta do seu custo nominal, mas pelo quanto ela representa (em percentual) do valor final da compra. Sendo assim, quanto menor a representatividade, melhor.

Para administrar o frete e reduzir seu custo, é preciso investir em técnicas específicas. Por exemplo, buscar por boas negociações com operadores logísticos e promover mais vendas cruzadas, bem como otimizar a distribuição dos estoques e pontos de entrega.

E mais, é preciso fazer da administração do custo do frete uma rotina de trabalho e tarefa prioritária na gestão do e-commerce. Para tanto, você pode adotar programas de melhoria contínua, estabelecer metas rigorosas e aprender com seus concorrentes relevantes.

Ao aplicar essas dicas, mesmo com um frete muito caro, você conseguirá reduzi-lo e deixar a entrega mais atraente aos clientes finais. Isso beneficiará seu e-commerce de várias formas, tornando-o mais “enxuto”, mais rentável e lucrativo, além de amado pelos consumidores.