Bem-vindo ao blog do Tiny

Como escolher o Marketplace ideal para o seu negócio

Como escolher o Marketplace ideal para o seu negócio

10.06.2020 por Melqui Sodre em Marketplace

Os marketplaces são boas oportunidades para vender online. Neste conteúdo, veja como escolher o marketplace ideal para seu negócio.

Qual é o marketplace ideal para o meu negócio? Essa dúvida passa pela cabeça de qualquer vendedor que está começando ou vai começar a vender em marketplaces.

Vendedores mais experientes sabem que, quanto maior for a diversificação de canais de venda, maiores e melhores resultados eles terão. Contudo, começar a vender em marketplaces é sempre um desafio e essa dúvida sempre passa pela cabeça do vendedor.

Cada marketplace possui particularidades como regras de negócio, exigências, logística, categorias e principais públicos-alvos. Por conta disso, escolher em qual marketplace vender e qual é o melhor para o negócio é uma importante decisão. Existem algumas informações que o vendedor precisa saber antes de entrar em um marketplace.

Para ajudar quem está com essa dúvida, vou destacar alguns pontos importantes para que conheça melhor os principais marketplaces do Brasil e tome sua decisão.

Temos um webinar com a Venda.la que fala deste assunto. Veja abaixo:

O que preciso para vender no marketplace?

Mercado Livre

Um dos maiores marketplaces do país, o Mercado Livre é um marketplace de fácil acesso. O seller não precisa possuir um CNPJ para vender no Mercado Livre, um dos fatores que o torna uma das principais portas de entrada para lojistas.

O marketplace oferece ao vendedor diversas soluções na área de logística, o que dá uma grande segurança ao lojista. Dentre as principais soluções de logística do Mercado Livre, podemos citar:

  • Mercado Envios
  • Mercado Envios Coleta
  • Mercado Envios Full
  • Mercado Envios Flex

Cada uma das modalidades de envio acima possuem particularidades para atender às necessidades de cada lojista. O vendedor também pode disponibilizar um endereço físico para que haja a retirada da encomenda em mãos.

Outro ponto importante deste marketplace são as tarifas de venda. O Mercado Livre possui diferentes tarifas que variam de acordo com o tipo de anúncio feito. Existem três tipos de anúncio no Mercado Livre: Grátis, Clássico e Premium. Esses variações oferecem vantagens distintas entre si, como duração do anúncio, exposição e parcelamento sem juros para o cliente.

Trata-se de um amplo canal de vendas, que possui quase todas as categorias do mercado disponíveis para venda. Contudo, de acordo com as tendências do canal, as categorias mais buscados dentro do Mercado Livre são:

  1. Celulares e Telefones
  2. Calçados, Roupas e Bolsas 
  3. Informática

A categoria de Automotivos, apesar de não ter o mesmo volume das citadas acima, também possui uma grande representatividade no canal. Além disso, o Mercado Livre é um dos principais marketplaces desta categoria.

B2W Marketplace

Outro grande marketplace no mercado, o B2W Marketplace agrega os sites Submarino, Americanas.com e Shoptime. Tratam-se de 3 grandes sites, com grande volume e públicos-alvos diversificados.

Por seu grande alcance e a confiança que os sites do grupo possuem, o B2W Marketplace também é um dos canais mais procurados pelos vendedores. A procura é justificada, já que o marketplace cresce a cada ano e investe muito para levar tráfego qualificado a seus sites.

Para vender no B2W Marketplace, ao contrário do Mercado Livre, é necessário que o vendedor possua um CNPJ ativo e com CNAE de Varejista (47). 

A exemplo do Mercado Livre, o B2W Marketplace também possui um serviço de logística próprio, o B2W Entrega. Assim como o Mercado Envios Full, também existe o B2W Entrega Full. Ambas as modalidades são serviços de fulfillment, ou seja, o vendedor envia seu produto para os centros de distribuição do marketplace para sair de lá quando for vendido. Essa dinâmica é extremamente benéfica para o cliente final, que receberá com maior agilidade sua encomenda.

Segundo Mayra Gianoni, Gerente de Marketing do B2W Marketplace, cada site do grupo possui um público fiel definido. A Americanas.com, por exemplo, é um público que “busca de tudo”, um público diverso e que sabe que encontrará de tudo lá. Já o Submarino possui um público fiel mais jovem, enquanto a Shoptime se destaca pelos produtos de vitrine, com um público que busca ter uma experiência com o produto e com a compra.

De forma geral, as categorias que mais trazem retorno no B2W Marketplace são Saúde, Beleza e Perfumaria, Esportes e Lazer e a de produtos voltados ao Entretenimento.

CNOVA / Via Varejo

A Via Varejo, antiga CNOVA, é outro marketplace de destaque no Brasil. O grupo conta com os e-commerces das Casas Bahia, Ponto Frio e Extra.com.br.

Tratam-se de 3 lojas físicas que investiram no e-commerce há muitos anos e são grandes conhecidas do comprador. A confiança do público nessas lojas é enorme, o que traz muita credibilidade ao marketplace e aos lojistas que nele atuam.

A Via Varejo passou por algumas reestruturações administrativas nos últimos anos, o que trouxe maiores investimentos e desenvolvimento para o marketplace do grupo.

Para vender na Via Varejo também é necessário que o vendedor possua um CNPJ ativo. Contudo, este marketplace ainda não possui um serviço de logística próprio para oferecer ao lojista. Dessa forma, o vendedor precisará possuir contratos particulares com os Correios e com transportadoras que possam facilitar, agilizar e custear os envios.

Por tradição e associação às marcas que o grupo representa, o público da Via Varejo é diversificado e amplo. De acordo com nossa experiência e com o desempenho dos vendedores que acompanhamos, este marketplace tem um bom alcance para as categorias de Casa, Móveis e Decoração e Eletrodomésticos.

Magalu Marketplace 

O marketplace do Magazine Luiza é, sem sombra de dúvidas, um dos que cresceram mais e mais rápido nos últimos anos. O grupo, pioneiro no e-commerce brasileiro e inovador em diversas ações digitais lançadas ao longo de toda sua existência, é marcado por investir em diferentes maneiras de ampliar seu alcance e seu público.

A loja é tradicional e velha conhecida do comprador brasileiro. Construiu ao longo de anos uma boa imagem e conquistou a confiança do público que atende, o que facilitou o sucesso e o crescimento do Magalu Marketplace assim que lançado.

Para vender no Magalu Marketplace o lojista precisa possui um CNPJ ativo há no mínimo 3 meses, além de uma conta bancária vinculada ao CNPJ para receber os pagamentos derivados das vendas.

O canal de vendas investiu em serviço próprio de logística, chamado de Magalu Entregas. O grupo também investiu em parcerias que ampliassem não só seu mix de produtos, mas seu alcance e penetração em diferentes segmentos de mercado.

O Magazine Luiza tem destacado o grande crescimento da procura na categoria de Mercado / Produtos de Higiene e Limpeza, que se tornou um dos grandes destaques em meio aos já populares segmento de Eletrônicos e Eletrodomésticos, já tradicionais para o canal.

Nos últimos anos, o grupo também incorporou as marcas Netshoes, Zattini e Época Cosméticos. A Netshoes se destaca entre os segmentos de Artigos Esportivos e Vestuário, enquanto Zattini e Época Cosméticos são referências nacionais para os segmento de Cosméticos, Perfumes e Cuidados Pessoais.

Amazon

Esta é uma marca que dispensa qualquer apresentação. A Amazon é o maior e-commerce do mundo, conquistando sucesso e destaque em todos os países por onde passa.

A operação do e-commerce no Brasil não é tão antiga, iniciando suas vendas com uma limitação muito grande de categorias. O marketplace da Amazon seguiu os mesmos passos do e-commerce e ainda está em expansão, já que o canal não atende todas as categorias que os demais marketplaces atendem.

Contudo, a Amazon é uma empresa que investe com segurança e planejamento, algo comprovado pelos anos de sucesso e experiência ao redor do mundo. No Brasil, o marketplace vem crescendo e atraindo mais lojistas e vendedores de uma das 16 categorias disponíveis. Além da limitação de categorias, o anúncio de produtos em algumas delas requer aprovação do canal antes de ir ao ar.

Para vender no marketplace da Amazon, o lojista não precisa possuir um CNPJ, uma vantagem que o coloca como porta de entrada para novos vendedores, assim com o Mercado Livre.

Um dos segmentos onde o marketplace vem ganhando grande destaque entre compradores é o de Computadores e Informática.

MadeiraMadeira

Quando pensamos em Casa, Móveis e Decoração, sem sombra de dúvidas um dos primeiros e-commerces que nos vem à cabeça é a MadeiraMadeira.

O e-commerce, que já era conhecido deste segmento, tem investido nos últimos anos em seu marketplace. O marketplace da MadeiraMadeira é relativamente recente, porém, é um dos que tem ajudado o e-commerce brasileiro a crescer cerca de 47% durante a pandemia.

Para vender na MadeiraMadeira o lojista não encontrará burocracia, basta preencher um formulário e aguardar a aprovação.

O canal ainda não possui um serviço próprio de logística, logo, assim como na Via Varejo, o vendedor precisa possuir contratos com os Correios, transportadoras e serviços de logística variados. Vale a pena destacar que as transportadoras são muito importantes para esse marketplace, já que as medidas dos produtos tendem a ultrapassar o limite dos Correios.

O que preciso saber antes de entrar em um marketplace?

Independente de qual marketplace você resolva iniciar suas vendas, todos os marketplaces possuem algumas necessidades em comum. Vou destacar algumas abaixo:

  • Cadastrar produtos;
  • Gerenciar pedidos;
  • Emitir NFe;
  • Gerar Etiqueta de Envio;
  • Enviar dados fiscais e/ou de rastreio para o marketplace de origem;
  • Despachar o pedido com a maior agilidade possível.

Em qualquer marketplace em que você venda, passará por essas etapas. Além disso, como disse no início, quanto mais o lojista se especializar nas vendas, maior será sua necessidade de vender em mais de um marketplace.

Dito isso, um erro comum para vendedores que estão começando a vender em marketplaces é iniciar a operação sem as “ferramentas necessárias”.

Para gerenciar com eficiência e evitar futuros prejuízos, é necessário utilizar sistemas que possibilitem que todas as tarefas acima sejam efetuadas com agilidade e segurança. Tanto um ERP, como o Tiny ERP, quanto um HUB, são ferramentas indispensáveis para que você gerencie seus marketplaces sem problemas.

Os dois sistemas trabalham juntos, inclusive, e são muito importantes para o controle de vendas em marketplaces.

Um HUB é capaz de centralizar as vendas e os produtos de todos os marketplaces onde você vender, possibilitando gerenciamento dentro de um mesmo fluxo todos seus pedidos.

A Venda.la, por exemplo, é um HUB automatizado e integrado aos principais marketplaces do mercado, além de possuir integrações com diversas soluções que você precisa para gerenciar suas vendas, tais como o Tiny ERP, Correios, transportadoras e serviços de logísticas.

Por que utilizar um HUB Marketplace?

As vantagens de já iniciar sua operação em marketplaces com um HUB passam por todas as áreas necessárias.

Você conseguirá não só cadastrar mais rapidamente seus anúncios iniciais, como também conseguirá transportar os anúncios que cadastrar em um marketplace, para outro, de acordo com a expansão de canais de venda que planejar.

Planejamento é outro ponto de atenção onde o HUB auxilia. A Venda.la, por exemplo, possui uma equipe de especialistas em Sucesso do Cliente que fazem um acompanhamento com cada vendedor, desenvolvendo um plano de ação e auxiliando o vendedor a executar esse plano. Dessa forma, o lojista começa a vender em um marketplace já preparado para aumentar os canais de venda e as vendas em si.

Além disso, a integração da Venda.la com o Tiny ERP permite que o vendedor não só consiga emitir NFe com facilidade e segurança, mas, com algumas configurações, o lojista conseguirá emitir e imprimir automaticamente as notas fiscais para todos os pedidos, de todos os marketplaces.

Conheça a parceria entre Tiny e Venda.la

Na prática, o pedido entra no sistema, a Venda.la confere os dados os dados do pedido, envia ele ao Tiny ERP e, se o vendedor possuir Certificado A1, o próprio sistema emite a NFe, resgata os dados, envia para o marketplace e imprime a Danfe. 

A mesma função de emitir e imprimir NFe automaticamente é empregada para as etiquetas de envio. Como vimos anteriormente, cada marketplace trata o envio de pedido de uma maneira diferente, seja com o próprio serviço de logística, seja com serviços de terceiros como Correios e transportadoras.

Dito isso, a Venda.la consegue gerar e imprimir automaticamente as Etiquetas de Envio de todos os marketplaces e dos Correios. Dessa forma, sua gestão fica muito mais rápida, além de evitar erros que podem ocorrer durante o processo.

Se você está iniciando seu processo de vendas online, se precisa de ajuda para centralizar a gestão e aumentar as vendas em marketplaces, não pense duas vezes e invista em tecnologia. Unir a tecnologia do HUB e do ERP às necessidades que o marketplace trará é a maneira mais segura e rápida e conseguir sucesso nas vendas.