Bem-vindo ao blog do Tiny

Gestão financeira: boas práticas para o seu negócio

Gestão financeira: boas práticas para o seu negócio

05.04.2021 por Daniela Borsoi em Fiscal e Tributação

Entenda o que é gestão financeira e como pode ser feita para melhorar os resultados do negócio.

Cuidar da gestão financeira é fundamental para qualquer negócio, seja ele de pequeno, médio ou grande porte. Administrar corretamente o capital da empresa é um dos passos para que seja possível fazer investimentos e também expandir as operações. Sem este cuidado, podem ocorrer problemas financeiros e até mesmo o encerramento das atividades da empresa.

De acordo com o Relatório Macroeconômico do 3º semestre de 2020, disponibilizado pela Serasa, em agosto de 2020 haviam 5,9 milhões de empresas inadimplentes no país. O total de dívidas alcançou R$ 49,8 milhões. A pandemia do COVID-19 impactou diversas empresas, gerando acúmulo de dívidas. Devido aos estímulos financeiros e fiscais, e também à possibilidade de renegociação, muitos negócios estão se recuperando, o que pode reduzir gradualmente a inadimplência no Brasil, oferecendo um novo rumo econômico.

Mas para isso acontecer, é preciso conhecer sobre gestão financeira e colocar em prática no negócio. Neste conteúdo, vamos te explicar o que é gestão financeira, quais os impactos de uma má gestão e também como fazer. Boa leitura.

O que é gestão financeira?

A gestão financeira empresarial envolve ações administrativas de análise, controle e planejamento do financeiro, a fim de melhorar os resultados dos negócios. Através disso, é possível realizar análises de cenário, traçar metas a serem alcançadas e também acompanhar resultados.

Ela é responsável por fornecer recursos para que toda a operação possa funcionar da melhor maneira possível, e também fornecerá informações preciosas, que serão guias para a tomada de decisões, sempre que necessário.

Quem cuida da gestão das finanças tem grandes responsabilidades em mãos. É preciso pagar as contas, evitar gastos desnecessários e ainda ficar de olho na entrada de dinheiro na empresa. Com uma gestão de recursos financeiros eficaz, a empresa consegue ter equilíbrio entre as contas a pagar e a receber, saber se houve lucro ou prejuízo em determinado período e se é possível realizar investimentos.

Assim como controlamos o dinheiro em nossa conta bancária pessoal para poupar e planejar viagens ou a compra de um carro, por exemplo, é preciso tomar conta das finanças dos negócios. Com isso, é possível acompanhar se os ganhos estão sendo suficientes para sustentar a empresa e ainda gerar lucro para o empreendedor.

Impactos da gestão financeira ineficaz

A saúde financeira do negócio depende de uma gestão organizada. Sem isso, é difícil controlar a movimentação financeira e analisar os resultados. 

Separamos abaixo alguns dos impactos que a empresa pode sentir caso não realize uma gestão financeira eficaz.

  • Falta de informações concretas: não ter todas as informações financeiras à disposição pode ser um grande problema. É preciso saber exatamente quais contas a empresa deve pagar, quanto de dinheiro tem para receber, quanto de impostos está pagando, entre outras informações que envolvem entrada ou saída de dinheiro. Sem esses dados, não há como realizar um bom planejamento financeiro;
  • Erros no cálculo de preços: para que a empresa possa calcular corretamente os preços de venda dos produtos, ela precisa saber exatamente por qual valor está comprando, e claro, com os impostos incluídos. Sem isso, poderá cobrar um preço que não vai oferecer lucro nas vendas;
  • Falta de dinheiro: um dos principais impactos é no bolso da empresa e do empreendedor. Com a falta de planejamento e organização, pode começar a faltar dinheiro para pagar as contas e os funcionários, não sendo possível investir para crescer. Sem dinheiro, muitas empresas decretam falência e saem do mercado.

Esses são apenas alguns dos impactos que uma má gestão pode ocasionar. Por isso, é importante ter cuidado e sempre manter todas as informações corretas.

Como fazer a gestão financeira 

Para que a gestão financeira seja feita de forma adequada, é preciso ter alguns cuidados. Não misturar as contas pessoais com as da empresa é um dos primeiros passos. Se você comprar um café de R$ 5,00 todos os dias utilizando o dinheiro da empresa e não informar isso, no fim do mês, vão faltar em torno de R$ 150,00 no caixa, sendo que esse dinheiro poderia ser utilizado como investimento em anúncios nas redes sociais, compra de material de escritório, entre outros benefícios em prol do negócio. 

Outra questão é a forma com que os dados financeiros serão armazenados. A empresa pode controlar via planilha, mas podem surgir divergências de informações. O ideal é utilizar um sistema ERP, como o Tiny, que oferece recursos e relatórios que ajudam no controle financeiro. Mas lembre-se que é preciso realizar todo e qualquer lançamento de despesa ou receita para que o ERP possa oferecer relatórios confiáveis. Esta é uma rotina que deve fazer parte da gestão.

Controlar tudo que a empresa deve pagar e o que precisa receber é essencial. Com o Tiny, todas as contas ficam registradas em um mesmo local, para que a empresa tenha um melhor controle financeiro. As contas a pagar podem ser originadas de ordens de compra, notas fiscais de compra ou inseridas de forma manual no sistema. Já as contas a receber tem como origem os pedidos de venda, as notas fiscais de venda ou manualmente. Quando estas informações forem corretamente lançadas no Tiny, será possível fazer três análises:

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa reúne todas as movimentações financeiras futuras da empresa, ou seja, todas as contas que ainda precisam ser pagas e todo o dinheiro que a empresa tem previsão para receber. 

A imagem abaixo mostra como é feito o Fluxo de Caixa no Tiny ERP.

Tela do Fluxo de caixa no Tiny ERP

O relatório mostra qual o valor diário que está previsto para entrada e saída. Sendo assim, o fluxo de caixa pode ajudar a empresa a realizar negociações mais assertivas, como o dia ideal para o vencimento de alguma conta.

Por este motivo, é importante que todas as contas sejam registradas no Tiny, para que componham este relatório e permitam uma visão futura do financeiro. Se em algum mês a empresa analisar e perceber que vai gastar mais dinheiro do que receber, será preciso pensar em estratégias para reverter a situação. Caso tenha mais dinheiro para receber do que a pagar, poderá pensar em investimentos para expansão dos negócios. 

Balancete

No módulo de Caixa do Tiny, o responsável pode baixar as contas que já foram pagas ou recebidas, e estas informações são enviadas para o balancete da empresa.

A imagem abaixo mostra como é a estrutura do Balancete no Tiny ERP.

Tela do Balancete no Tiny ERP

O balancete reúne todas as contas que já foram pagas ou recebidas, oferecendo uma visão mais concreta de como a empresa se encontrava financeiramente em determinado período. 

Se a previsão de fluxo de caixa era receber R$ 100.000,00 em um mês, mas o balancete registrou apenas R$ 90.000,00 de entradas efetivas, pode ter acontecido esquecimentos na baixa de contas ou até mesmo inadimplência por parte de clientes. Em relação aos pagamentos, se os valores não forem condizentes, a empresa pode ter esquecido de pagar alguma conta. 

DRE

DRE é a sigla para Demonstrativo de Resultados do Exercício. O DRE é um relatório contábil que mostra se as operações de uma empresa estão gerando lucro ou prejuízo, dentro de um determinado período de tempo.

A imagem abaixo mostra como é a estrutura do DRE no Tiny ERP.

Tela do DRE no Tiny ERP

Por ser mais completo, é possível analisar as despesas e receitas conforme a categoria, podendo ter uma visão real sobre onde a empresa gastou mais dinheiro e qual foi a sua renda. 

Este documento também é importante em outras situações. O governo pode utilizar o DRE das empresas para verificar se os impostos foram calculados de forma correta, inclusive podendo fazer a comparação dos lucros no DRE com os declarados no Imposto de Renda. 

Ainda, o DRE pode ser utilizado no momento de solicitar um empréstimo, por exemplo, juntamente com o Balanço Patrimonial da empresa. O Banco pode solicitar o documento para verificar a situação financeira antes de decidir se o crédito será aprovado ou não.

De forma legal, o DRE deve ser gerado pela contabilidade a cada ano, juntamente com outros relatórios contábeis. De qualquer forma, o DRE do Tiny pode ser utilizado internamente, inclusive de forma mensal, como relatório gerencial para acompanhar o andamento da empresa.

Faça a gestão financeira do seu negócio

Cuidar do financeiro da sua empresa é importante para que ela seja sólida e tenha lucro. Reunir as informações financeiras faz com que os responsáveis tenham uma boa base de dados para planejar ações para a empresa, seja de investimento ou para tirá-la do vermelho.

Utilizar o Tiny ERP é uma solução para que todas as contas fiquem reunidas e facilitem o trabalho de análise. Todos os relatórios mostrados neste conteúdo podem ser gerados no ERP para que você possa realizar a gestão financeira na sua empresa.

Oferecemos 30 dias para você experimentar o Tiny sem custo e analisar se os recursos podem otimizar sua empresa.