Bem-vindo ao blog do Tiny

MEI pode vender em marketplaces?

MEI pode vender em marketplaces?

03.12.2020 por Laika em Fiscal e Tributação

Se você é MEI, saiba que pode aumentar os canais de venda e expandir o negócio através de marketplaces. Saiba como.

O Micro Empreendedor Individual (MEI) é uma categoria que o governo oferece aos brasileiros para que possam iniciar e formalizar um negócio. Uma das regras quanto ao processo de adesão é o limite de faturamento estipulado pelo governo para MEI’s.

Atualmente, a legislação prevê um limite de faturamento anual de R$ 81 mil ou mensal de R$ 6.750. São inúmeros os benefícios de ser MEI, uma vez que o lojista acaba tendo custos menores em relação ao pagamento de tributos, impostos, dentre outros serviços.

No entanto, uma dúvida que muitos empreendedores têm é se MEI pode vender em marketplaces. O regime tributário simplificado que o MEI disponibiliza permite, sim, a venda no comércio eletrônico. No entanto, é preciso ficar atento em relação ao limite de faturamento estipulado para os microempreendedores para não sofrer penalidades ou, até mesmo, para evitar ser retirado da modalidade.

Acompanhe a seguir e entenda como o MEI pode vender em marketplaces e saiba qual a importância de atuar alinhado com a legislação.

MEI pode vender em marketplaces

Grande parte dos marketplaces aceitam negócios que estejam sob o regime tributário do MEI. Essa é, inclusive, uma ótima opção para quem deseja ampliar as vendas anunciando no comércio eletrônico. No entanto, um dos grandes empecilhos para a presença de microempreendedores nos marketplaces é a emissão de nota fiscal, que é exigência de alguns canais de venda.

Isso porque nem todos os estados brasileiros aceitam que MEIs emitam nota fiscal eletrônica, pois tem estados que não cadastram no Sefaz uma Iscrição Estadual para os MEIs, necessário para emissão de notas. Nesses casos, o indicado é realizar uma consulta com um contador para ter certeza de que é possível emitir notas, para evitar problemas ao vender online.

Além da emissão das notas, o lojista deve apresentar condições comerciais competitivas, divulgar produtos com potencial e ter boa relação de preço e frete para melhorar os resultados da empresa dentro dos marketplaces. 

Como vender em marketplaces sendo MEI?

Para vender em marketplaces, o Micro Empreendedor Individual precisa verificar alguns requisitos da legislação, que devem ser seguidos para que o empreendedor não tenha problemas jurídicos e, com isso, precise interromper o funcionamento da loja. Basicamente, os MEI’s devem:

  • ter um CNPJ ativo e sem restrições: o pagamento do Simples Nacional e a declaração anual devem estar em dia para evitar o cancelamento do CNPJ;
  • ter CNAE no setor “Comércio Varejista”: a CNAE regula os perfis dos CNPJ’s, assim, é importante ter habilitação para comercializar no varejo;
  • ter cadastrada no Sefaz do estado uma inscrição estadual: essa opção permite a transmissão da nota fiscal para o Sefaz e a correta validação da mesma;
  • ter autorização para emitir nota fiscal: a emissão e envio da nota fiscal é obrigatório para todos os pedidos realizados no marketplace, e deve conter o valor do produto com o frete pago pelo cliente;
  • ter capital social superior a R$ 1 mil: documento de abertura do CNPJ em que deve estar declarado os bens da empresa na data em que foi iniciada;
  • ter conta-corrente vinculada ao CNPJ cadastrado: a conta é essencial para a formalização das vendas no marketplace, sendo a forma de receber os pagamentos das vendas.

Quais são as vantagens de usar um marketplace para vender online?

Uma das maiores vantagens ao anunciar no marketplace é que o vendedor não precisa se preocupar em criar a própria loja. O marketplace já oferece toda a estrutura pronta, inclusive com diversas formas de pagamento e frete para que os clientes possam escolher a melhor opção na hora da compra. Como o MEI é a porta de entrada de muitos empreendedores, qualquer custo reduzido pode ser uma boa estratégia.

Outra vantagem do MEI anunciar em marketplaces é que marketing fica sob responsabilidade do canal, portanto há uma economia em termos de divulgação. A possibilidade do seu produto ser visto por um grande número de pessoas é melhor, pelo fato dos produtos serem anunciados em lojas já conhecidas, como Submarino e Mercado Livre, por exemplo. Alcançar mais clientes é um dos passos para expandir o negócio.

Ainda, as lojas ficam disponíveis para compras 24 horas por dia, diferente de uma loja física que tem horário comercial reduzido. Isso significa que o público pode acessar os produtos e conferir detalhes da compra a qualquer momento, representando uma oportunidade para vender mais sem precisar, necessariamente, investir muito dinheiro.

Antes de escolher um marketplace para iniciar as vendas, é fundamental considerar o potencial dos produtos e serviços que serão oferecidos no canal para entender as possibilidades do negócio crescer e se desenvolver.

Dica para organizar as vendas

Vender online exige organização do vendedor para que todos os pedidos sejam enviados corretamente e entregues dentro do prazo. Uma dica para vender em marketplaces é ter um sistema de gestão integrado para simplificar as operações como criação de anúncios, separação de pedidos, logística e emissão de nota fiscal.

O ERP, por exemplo, é um sistema que facilita o envio de anúncios dos produtos para diversos canais de vendas. Quando o marketplace conta com um sistema ERP completo, o empreendedor tem mais chances de ter crescimento nas vendas e conquistar novos clientes, mesmo que suas estratégias de marketing sejam direcionadas para consumidores fidelizados.

O Tiny é um ERP onde empresas MEI podem cadastrar seus produtos, enviar para diversos canais de venda e emitir as notas fiscais de forma rápida, desde que a empresa possua Inscrição Estadual, um certificado digital configurado no sistema (A1 ou A3) e esteja habilitada para emissão de notas no SEFAZ de seu estado.

Conclusão

Sim, MEI pode vender em marketplaces e, mais do que isso, pode aproveitar todas as vantagens de contar com bons canais de venda para ampliar o alcance do sua loja. Mas é importante prestar atenção no momento de escolher em qual canal vai comercializar os produtos. 

O indicado é que o marketplace seja completo e integrado, atendendo a todas as necessidades do microempreendedor. Além de abranger diversos públicos, os canais de vendas ajudam a aproximar os consumidores com a loja, o que pode representar fidelizações e clientes satisfeitos.

Sou MEI e quero emitir notas fiscais no Tiny