Bem-vindo ao blog do Tiny

Pronta-entrega ou encomenda: veja qual é a melhor opção para o seu negócio

Pronta-entrega ou encomenda: veja qual é a melhor opção para o seu negócio

22.03.2022 por Laika em artigos-tiny, Gestão

Entenda a diferença entre oferecer produtos a pronta-entrega ou encomenda e saiba quando é melhor usar cada estratégia.

Uma dúvida comum entre os lojistas e donos de e-commerce é sobre qual é a opção mais interessante: pronta-entrega ou encomenda. Para entender qual é a melhor solução, é preciso avaliar alguns fatores como a modalidade de negócio, os clientes e a necessidade de dinheiro em caixa.

Neste post, vamos explicar cada modalidade e quais as vantagens e desvantagens de cada uma em diversos pontos, como estoque, prazos, pagamentos, entre outros. Acompanhe.

Como funciona a pronta-entrega e a encomenda?

Na pronta-entrega, o acesso ao produto é imediato. O cliente escolhe a mercadoria, faz o pagamento e já pode levar a compra. É o modelo usado geralmente em lojas físicas e e-commerces. A diferença do e-commerce é que o cliente precisa aguardar a chegada do item pelo correio ou transportadora.

Na encomenda, o consumidor escolhe o produto desejado e aguarda o período de produção determinado pelo lojista para envio ou retirada em loja. Encomendas são muito usadas na venda de produtos personalizados, pré-venda de lançamentos e comercialização de produtos artesanais.

Quais são os prós e contras de cada modalidade?

Conheça mais cada tipo de venda pelos pontos positivos e negativos relacionados ao comércio.

Estoque

Nas vendas por encomenda, não é preciso ter estoque das mercadorias, embora uma reserva de matérias-primas seja indicada para que você consiga ganhar tempo e mantenha o fluxo de pedidos, sem deixar de fabricar a peça por falta de insumos.

Isso permite uma economia de espaço, diminuindo custos que são inevitáveis em um negócio que trabalha com a pronta-entrega de produtos, como por exemplo, o aluguel de um galpão ou sala para abrigar os itens. Além disso, com a encomenda, você não corre risco de ter itens encalhados.

Personalização

A personalização de um produto é mais viável para a produção de peças sob encomenda. Porém, vale a pena definir claramente os detalhes, para que o cliente não peça vários ajustes após a produção, que podem levar mais material e tempo.

Já a venda a pronta-entrega traz as opções já definidas, obrigando uma padronização das peças. Dependendo do tipo de produto, isso pode ser uma desvantagem, afinal não tem como ter a pronta-entrega um produto personalizado.

Prazo de entrega

O prazo é um ponto positivo na venda à pronta-entrega, pois o cliente não precisa esperar a chegada do produto na empresa ou sua fabricação para que seja enviado. Isso ajuda a fidelizar o cliente e pode resolver alguns problemas, como a compra de um presente de última hora.

Ao trabalhar com a encomenda, há um período maior para que o produto chegue ao cliente, o que pode ser um ponto negativo, mas ao mesmo tempo permite o acesso a um item único e personalizado, por exemplo.

Vale lembrar que cumprir os prazos prometidos é um ponto indispensável. Os atrasos podem afetar o relacionamento com o consumidor e fazer com que ele procure a concorrência.

Pagamentos

Os pagamentos na pronta-entrega são realizados no ato. Isso traz um giro de caixa maior ao comerciante, que tem acesso ao dinheiro naquele momento. Caso a compra seja feita no cartão, talvez seja preciso esperar o prazo de liberação determinado pela operadora, mas que também pode ser antecipado.

Já na encomenda, encontramos diversas formas de venda. Alguns itens são pagos integralmente no pedido, já para outros há a quitação de parte do valor, como um sinal de negócio. Há ainda uma terceira opção, quando o produto é quitado apenas no momento da entrega.

Para as duas últimas opções, é preciso uma organização financeira muito maior do lojista em comparação a pronta-entrega. Afinal, ele precisará arcar com custos de produção sem ter o valor total do item comercializado em mãos.

Por isso, é importante ter uma boa reserva financeira para manter as operações e reabastecer o estoque de matérias-primas até o próximo recebimento.

Inadimplência

Em vendas à pronta-entrega, não há risco de inadimplência, afinal, o produto só é liberado após o pagamento.

Já nas encomendas, sempre há a possibilidade de não receber pela mercadoria produzida. Por isso, o ideal é sempre pedir 50% do valor para começar a fazer o produto, com a entrega apenas após a quitação do restante. Assim, é possível diminuir os riscos de inadimplência, capazes de comprometer a saúde financeira do negócio.

Quais são os cuidados necessários em cada modalidade?

Para quem quer trabalhar sob encomenda, é essencial ter um planejamento adequado e extrema organização, a fim de ter os materiais necessários e conseguir produzir ou comprar as mercadorias dentro do prazo prometido.

Também é importante saber ouvir o cliente para entender exatamente o que ele deseja e manter-se sempre atento ao aumento da demanda, identificando o momento em que é necessário contratar mão de obra extra.

Defina também o nicho com o qual você quer trabalhar e quais produtos essa fatia de mercado procura. Teste a aceitação no mercado dos produtos antes de um grande investimento, para que os itens não fiquem parados.

Pronta-entrega ou encomenda: como o Tiny ERP pode ajudar?

Com o Tiny ERP, você tem uma ferramenta que ajuda na administração do negócio, independentemente do modelo de entrega adotado.

Entre os recursos disponíveis estão:

  • Módulo de necessidade de compras: oferece uma previsibilidade de demanda de produtos conforme as vendas realizadas.
  • Controle de estoques: para que você saiba as quantidades disponíveis para venda.
  • Sob encomenda: permite a venda sem estoque disponível para envio e libera os pedidos conforme a compra das mercadorias.

Para utilizar estes e outros recursos do ERP basta criar sua conta. Aproveite para experimentar 30 dias grátis.

Conclusão

Destacamos aqui os principais pontos que merecem a sua atenção na hora de decidir entre encomenda e pronta-entrega. Lembre-se de fazer uma análise cuidadosa do seu tipo de negócio, da mercadoria comercializada, do capital de giro que você possui em mãos e do tempo que você precisa para o retorno das vendas.

A partir dessas informações, é possível definir o modelo mais coerente com a empresa. Não se esqueça também de consultar os seus clientes, afinal, eles devem ser o foco de qualquer estratégia.

Ficou mais claro como escolher a melhor modalidade: pronta-entrega ou encomenda? Ainda é possível trabalhar com as duas modalidades de forma paralela, basta ter organização. Afinal, as condições e necessidades mudam, e ter flexibilidade é um dos caminhos para manter seus clientes satisfeitos.